Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

17 de julho de 2024

Lei Seca: Detran implanta Núcleo de Ação Integrada de Trânsito

Protocolo de Intenções foi assinado junto à PRF/AL, DER/AL, BPTran e BPRv durante a comemoração dos 12 anos da Operação Lei Seca no estado.


Por Assessoria de Imprensa Publicado 30/06/2024 às 18h00
Ouvir: 00:00
lei seca Detran
O objetivo da Operação Lei Seca do Detran é reduzir a quantidade de sinistros com feridos graves e mortes. Foto: Fellipe Yuri/Ascom Detran.

Para fortalecer ainda mais as ações da Operação Lei Seca em Alagoas, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) assinou, na última semana, um Protocolo de Intenções para a implantação do Núcleo de Ação Integrada de Trânsito no Estado. O acordo foi firmado durante a solenidade de comemoração aos 12 anos da Operação Lei Seca, que aconteceu no auditório do Detran com a presença de agentes e órgãos parceiros.

O núcleo será formado pelo Detran, a Polícia Rodoviária Federal (PRF/AL), o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), o Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran) e o Batalhão de Policiamento Rodoviário (BPRv). De acordo com Marco Fireman, diretor-presidente do Detran, o documento assinado entre os órgãos de trânsito viabilizará operações conjuntas para coibir os ilícitos de trânsito.

“O nosso objetivo maior é reduzir a quantidade de sinistros com feridos graves e mortes. Com o Núcleo, vamos poder planejar e coordenar operações de forma conjunta e fazer operações em rodovias federais, nas estaduais e também nas ruas das cidades”, explicou.

Segundo Juliano Lessa, superintendente da PRF/AL, as ações integradas vão dar ainda mais força e autoridade para a Operação Lei Seca. “Vamos conseguir asfixiar certos pontos das rodovias e queremos, assim, coibir e reduzir o número de condutores que ainda insistem em beber e dirigir. O resultado disso vai ser a melhoria no trânsito e mais segurança para a população”, finalizou.

12 anos da Lei Seca 

Durante os 12 anos de atuação em Alagoas, os agentes civis e militares da Lei Seca fizeram 254.058 testes do etilômetro, em 4.600 ações realizadas, com 12.686 pessoas autuadas em situações de alcoolemia.

De acordo com o gerente de Planejamento e Fiscalização de Trânsito do Detran, tenente coronel Eduardo Alex, a Operação Lei Seca passou por uma reformulação, com novas estratégias. E, assim, foi possível ampliar em 15,38% o número de ações de 2023 para este ano, no período de janeiro a maio. “A cada ano que passa estamos intensificando as ações da Lei Seca em todo o estado. Assim, sempre focando e pensando em salvar mais vidas nas vias e rodovias de Alagoas. Todo esse esforço vem junto com o apoio total do nosso diretor-presidente, que busca valorizar todos os agentes civis e militares que fazem parte da Operação Lei Seca”, afirmou o coordenador da Operação Lei Seca em Alagoas.

O diretor-presidente do Detran elogiou todos os integrantes da Lei Seca e os parabenizou pela dedicação durante esses 12 anos da Operação em Alagoas. “Essa equipe tem muita garra e determinação, tudo isso em prol de salvar vidas nas rodovias do estado. O lema da Lei Seca é ser parceira da vida, e ela vai muito além de apenas cumprir a legislação. Temos intensificado os trabalhos de conscientização para conseguirmos reduzir os sinistros graves e as mortes no trânsito”, afirmou Marco Fireman.

Vítimas do álcool 

Ainda na solenidade, duas vítimas de sinistros de trânsito que envolveram álcool e direção deram um breve depoimento sobre a importância da Operação Lei Seca, que conscientiza a população sobre os riscos dessa mistura perigosa. Uma dessas vítimas foi o arapiraquense Cícero de Oliveira, de 57 anos, que, na época, era mototaxista e sofreu o sinistro junto à esposa. “Em 2025, vai fazer dez anos que eu e minha esposa perdemos a perna direita. Isso ocorreu por causa da irresponsabilidade de um condutor que tinha bebido, pegou uma motocicleta, saiu pela estrada e acabou colidindo conosco”.

“Passei mais de 40 dias internado e fiquei oito dias em coma no Hospital de Emergência do Agreste, em Arapiraca. Minha vida mudou bastante, pois antes eu trabalhava, era mototaxista, e hoje estou aposentado por invalidez. Fica aqui o meu apelo para que as pessoas tenham cada vez mais consciência e não dirijam depois de consumir bebida alcoólica”, afirmou.

Quem também participou do momento foi Luiz André Cavalcante. Ele, após um sinistro, teve o braço e a perna esquerdos amputados, mas superou todas as adversidades e se tornou um paratleta.

Para finalizar as comemorações, foram entregues troféus e certificados em reconhecimento às pessoas que estão todos os dias se dedicando a salvar vidas no trânsito.

Texto de João Victor Barroso / Ascom Detran

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *