Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

19 de julho de 2024

Câmara deve votar semana que vem fim do uso de simuladores


Por Mariana Czerwonka Publicado 05/02/2014 às 02h00 Atualizado 08/11/2022 às 23h19
Ouvir: 00:00

Obrigatoriedade de uso dos simuladoresPDC 1263/2013, que susta a Resolução 444/13 do Contran, está hoje em análise na Comissão de Viação e Transportes

O presidente da Câmara dos Deputados, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e o líder do PMDB na Casa, deputado Eduardo Cunha (RJ), garantiram que o Projeto de Decreto Legislativo 1263/2013 será votado na próxima semana. A garantia foi dada ontem ao deputado federal Marcelo Almeida (PMDB-PR), autor do PDC que susta os efeitos da Resolução 444/2013 do Conselho Nacional de Trânsito, que tornou obrigatório o uso dos simuladores de direção na formação de novos condutores no Brasil. O projeto está hoje na Comissão de Viação e Transportes da Câmara e tem como relator o deputado Jesus Rodrigues (PT-PI).

Almeida está articulando junto aos líderes da Casa a aprovação do projeto o mais rápido possível, pois os Centros de Formação de Condutores de todo o Brasil já estão sendo obrigados a comprar os simuladores. O desembolso médio de cada autoescola é de R$ 40 mil por simulador. A obrigatoriedade tem gerado protestos em todo o Brasil e uma nova manifestação nacional das autoescolas contra a obrigatoriedade dos simuladores está agendada para a próxima quarta-feira, em Brasília-DF.

Segundo Almeida, que desde o ano passado vem lutando contra a obrigatoriedade, não há qualquer comprovação técnico-científica que garanta a eficiência dos simuladores na formação de novos condutores, com vista à redução dos acidentes de trânsito no Brasil. Segundo ele, o equipamento deve ser opcional para as autoescolas que querem se diferenciar no mercado e não uma exigência, que vai elevar o custo da emissão da primeira habilitação em, no mínimo, R$ 250,00 em todo o Brasil.

Com informações da Assessoria de Imprensa

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *