Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

16 de julho de 2024

Deputados votam nesta semana PL que estabelece a implantação do pedágio free flow.


Por Mariana Czerwonka Publicado 21/04/2021 às 16h20 Atualizado 08/11/2022 às 21h30
Ouvir: 00:00

De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Placas Veiculares, o formato tornará a cobrança automática e mais justa, além de liberar o tráfego.

O Plenário da Câmara deve votar na próxima quinta-feira (22), o Projeto de Lei 886/2021, que estabelece a implantação do pedágio free flow, que será obrigatório para todos os veículos que utilizam as vias e estradas concedidas.

De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Placas Veiculares, o formato tornará a cobrança automática e mais justa, além de liberar o tráfego. “A medida deve aplicar taxas mais justas para o usuário e facilitar a cobrança proporcional à quilometragem rodada por cada veículo”, argumenta a Associação.

O PL que já foi aprovado no Senado, se aprovada pela Câmara dos Deputados deve beneficiar pessoas que precisam passar diariamente por praças de pedágio.

Opinião

Conforme a entidade, há alguns anos o Governo tentou implantar este sistema de forma gratuita, através de um chip da placa veicular, que também iria prevenir a clonagem, que hoje já registra mais casos com a placa Mercosul que na placa cinza. “Na época o chip foi retirado das placas pois ameaçava um negócio bilionário das empresas de meio de pagamento que atuam nas rodovias, que hoje tentam obrigar a instalação de uma “placa eletrônica” no para-brisas dos veículos, que além de não ter base legal (não consta no Código de Trânsito Brasileiro), vai obrigar os proprietários a se tornarem clientes de uma destas empresas, com custo mensal de manutenção para utilizar tal apetrecho”, alega a entidade.

Ainda segundo a Associação, o Senado alterou a PL e reconheceu que o chip deve ir para as placas para evitar esta despesa para os brasileiros. “Agora a pressão está sobre o Deputado Gutemberg Reis (MDB-RJ) para derrubar a modificação e devolver o negócio para as operadoras milionárias. Uma verdadeira luta de Davi contra Golias”, finaliza.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *