Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

21 de julho de 2024

Combustível: além de proporcionar 40% de economia para motoristas, GNV tem menor emissão de poluentes

Com o recente aumento nos preços da gasolina e diesel, o uso do gás natural veicular segue sendo o combustível mais vantajoso para o motorista.


Por Pauline Machado Publicado 28/08/2023 às 15h00
Ouvir: 00:00

Com o recente aumento nos preços da gasolina e do diesel, o uso do Gás Natural Veicular (GNV) segue sendo o combustível mais vantajoso para o motorista. Neste cenário, a Comgás, distribuidora de gás natural encanado na América Latina, ressalta que, quando comparado ao uso da gasolina e do etanol, a economia em veículos leves pode superar 40%, dependendo da região.

No entanto, os benefícios não param por aí. De acordo com Guilherme Santana Freitas, head de GNV da Comgás, são muitas as vantagens de se converter o veículo com a instalação de kit GNV, pois, além de ser mais econômico, este combustível é menos poluente quando comparado a outros combustíveis fósseis.

“A crescente necessidade de soluções que reduzam o impacto ambiental, além de rendimento, economia, instalação e manutenção fáceis e a alta disponibilidade, com mais de 230 postos abastecidos pela Comgás, fazem do GNV uma excelente escolha para os gestores de frota, sejam elas próprias ou locadas, leves ou pesadas”, pontua.

Veículos de passeio

Um aspecto importante que deve ser levado em consideração nos veículos de passeio é a eficiência e o rendimento do GNV, que rende o dobro do etanol. Se um carro que utiliza GNV consegue rodar em média 14 quilômetros por metro cúbico, na comparação com etanol ele percorre, em média, apenas 7 quilômetros por litro, enquanto com gasolina são somente 10 quilômetros por litro. “Um carro de passeio que rodar 5 mil quilômetros por mês, poderá economizar até mil reais neste período. É uma economia muito relevante, pois são, em média, 200 reais a menos a cada 1000 km rodados”, ilustra o head de GNV da Comgás.

Veículos pesados

Para os veículos pesados, considerando os rendimentos do gás natural veicular e do diesel, e ainda os preços médios desses produtos nos postos, fornecidos pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, a economia do GNV supera 15% por quilômetro rodado frente ao diesel.

A economia pode ser ainda maior quando aplicada em projetos customizados. Nessa conjuntura, a Comgás tem se esforçado cada vez mais para incentivar a criação de garagens de abastecimento em transportadoras e indústrias. Dessa forma, para reduzir o custo do frete como um todo.

“Se uma empresa de logística consegue viabilizar a instalação de um posto próprio de abastecimento dentro de sua sede, a economia de combustível pode ficar entre 30% a 40%, quando comparada com o diesel vendido em postos convencionais”, exemplifica Freitas.

Logística e meio ambiente

Ele destaca, ainda, que a distribuição do gás natural aos postos acontece por tubulações. Este processo minimiza o risco de desabastecimento, como pode ocorrer com outros tipos de combustíveis que têm parcela significativa importada e são distribuídos por caminhões.

Outra vantagem que se destaca no caso de frotas pesadas está relacionada ao meio ambiente. Isso porque, além da redução chegar até 20% na emissão dos gases do efeito estufa, a geração de poluentes locais e material particulado supera 90%. “O gás natural veicular praticamente elimina a ‘fumaça preta’ expelida pelos motores convencionais dos caminhões”, finaliza Guilherme Santana Freitas, head de GNV da Comgás.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *