Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

25 de julho de 2024

Conectividade: estudo aponta oportunidades que o setor automotivo ainda não explora

O setor automotivo está passando por transformações e um estudo revelou que a conectividade e a digitalização serão a base dessa mudança.


Por Pauline Machado Publicado 17/11/2022 às 13h30
Ouvir: 00:00

De acordo com o “Trends in Automotive”, relatório inédito realizado pela Salesforce, especializada em soluções de gestão de relacionamento com clientes (CRM), experiências digitais e maior conectividade devem nortear o desenvolvimento da indústria automotiva nos próximos anos.

De acordo com a empresa, a realização do estudo ocorreu com o intuito de compreender a transformação que o setor automotivo está atravessando.

Neste cenário, a mudança de comportamento do consumidor é outro fator importante, ressalta a vice-presidente para América Latina do Ignite na Salesforce, Lucimary Henrique. “A indústria automotiva vem enfrentando pressões externas e um cenário desconhecido ao entrar no mundo digital. Aumento de preços, problemas na cadeia de suprimentos, investimentos em veículos elétricos e conectados, novas regulamentações e concorrência global estão afetando as margens de lucro”, aponta e acrescenta a preferência dos clientes por realizar transações online, ao invés das feitas no showroom.

“Até os reparos estão se tornando digitais a partir de atualizações, corrigindo problemas que costumavam exigir a atenção de um mecânico. É uma nova era e que precisa, portanto, de novas estratégias e de um novo olhar para a experiência do cliente”, considera a executiva.

Digitalização x oportunidades

Neste sentido, o levantamento aponta que as experiências digitais podem e devem evoluir. Isso porque apenas 26% das fabricantes de equipamentos originais (OEMs) e 23% dos varejistas realmente acreditam que suas empresas se adaptaram bem às vendas online.

Ademais, em cada cinco empresas automotivas, menos de uma acredita que suas vitrines digitais são atraentes. Ou, ainda, compatíveis com dispositivos móveis e que fornecem dados de inventário precisos.

O levantamento identificou que apenas 24% dos líderes do segmento relataram que os preços em seu site correspondem ao que os clientes pagam.

Neste ponto, é notória a existência de uma oportunidade a ser explorada. Especialmente devido à 99% dos clientes terem dito, durante o levantamento realizado pela consultoria McKinsey, estarem insatisfeitos com a experiência tradicional de compra de automóveis. De acordo com o estudo,  a maioria deseja cotações de preços online precisas e a aprovação de empréstimos de maneira simples e digital.

O levantamento demonstrou, também, que 68% dos OEMs e 62% dos varejistas estão investindo em aplicativos de Internet das Coisas (IoT). São exemplos o Apple CarPlay e dispositivos domésticos inteligentes. Dessa forma, mostrando a preocupação das fabricantes com a importância da conectividade e da tecnologia.

Dentre todas as empresas ouvidas, 93% concordaram que dados básicos, como interação no site, uso no aplicativo e histórico de compras/serviços, podem contribuir consideravelmente para a experiência do cliente.

Além disso, 40% dos entrevistados consideram que a digitalização de operações e o uso de dados podem favorecer a identificação de empecilhos e áreas de difusão em toda a operação.

Conectividade x oportunidades

A conectividade também é um tema significativo para as montadoras. Isso porque metade das organizações ouvidas no estudo afirmaram estar “investindo pesadamente” na ativação de dados primários de veículos conectados. Basicamente através de investimentos em recursos de Internet das Coisas (ou IoT, da sigla em inglês) e experiência do motorista em primeiro plano. “O futuro da indústria automotiva será impulsionado por dados e experiências digitais. Logo, investir nas plataformas corretas para explorar o potencial desses dados, criar fluxos de receita e corresponder às expectativas dos clientes de eficiência e personalização será a chave para o sucesso num futuro próximo”, finaliza, vice-presidente para América Latina do Ignite na Salesforce, Lucimary Henrique.

Para a elaboração do estudo, houve a entrevista de 500 tomadores de decisão de fabricantes de equipamentos originais (OEMs), subsidiárias de financiamento de automóveis assim como revendedores. Os entrevistados são de países da América do Norte, América do Sul, Ásia-Pacífico e Europa.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

10 comentários

  • IN Trânsito Congestionamentos: como a mobilidade urbana pode ajudar nesta questão?
    28/11/2022 às 17:37

    […] cada integrante familiar tem o seu próprio carro. Reflexo desse novo cenário é o excesso de carros nas ruas e, como consequência um número maior de congestionamentos, atrelados aos problemas estruturais […]

  • Romeu Despachante » Congestionamentos: como a mobilidade urbana pode ajudar nesta questão?
    28/11/2022 às 20:00

    […] cada integrante familiar tem o seu próprio carro. Reflexo desse novo cenário é o excesso de carros nas ruas e, como consequência um número maior de congestionamentos, atrelados aos problemas estruturais […]

  • Cacique – Auto Escola e Despachante » Congestionamentos: como a mobilidade urbana pode ajudar nesta questão?
    28/11/2022 às 20:01

    […] cada integrante familiar tem o seu próprio carro. Reflexo desse novo cenário é o excesso de carros nas ruas e, como consequência um número maior de congestionamentos, atrelados aos problemas estruturais […]

  • Gordo Despachante » Congestionamentos: como a mobilidade urbana pode ajudar nesta questão?
    28/11/2022 às 20:01

    […] cada integrante familiar tem o seu próprio carro. Reflexo desse novo cenário é o excesso de carros nas ruas e, como consequência um número maior de congestionamentos, atrelados aos problemas estruturais […]

  • Congestionamentos: como a mobilidade urbana pode ajudar nesta questão? | Despachante Expresso
    28/11/2022 às 20:02

    […] cada integrante familiar tem o seu próprio carro. Reflexo desse novo cenário é o excesso de carros nas ruas e, como consequência um número maior de congestionamentos, atrelados aos problemas estruturais […]

  • Despachante Machado
    28/11/2022 às 20:03

    […] cada integrante familiar tem o seu próprio carro. Reflexo desse novo cenário é o excesso de carros nas ruas e, como consequência um número maior de congestionamentos, atrelados aos problemas estruturais […]

  • Jura Despachante » Congestionamentos: como a mobilidade urbana pode ajudar nesta questão?
    28/11/2022 às 20:04

    […] cada integrante familiar tem o seu próprio carro. Reflexo desse novo cenário é o excesso de carros nas ruas e, como consequência um número maior de congestionamentos, atrelados aos problemas estruturais […]

  • JM Despachante
    28/11/2022 às 20:13

    […] cada integrante familiar tem o seu próprio carro. Reflexo desse novo cenário é o excesso de carros nas ruas e, como consequência um número maior de congestionamentos, atrelados aos problemas estruturais […]

  • Despachante Cometa
    28/11/2022 às 20:31

    […] cada integrante familiar tem o seu próprio carro. Reflexo desse novo cenário é o excesso de carros nas ruas e, como consequência um número maior de congestionamentos, atrelados aos problemas estruturais […]

  • Despachante Novo Mundo » Congestionamentos: como a mobilidade urbana pode ajudar nesta questão?
    28/11/2022 às 23:24

    […] cada integrante familiar tem o seu próprio carro. Reflexo desse novo cenário é o excesso de carros nas ruas e, como consequência um número maior de congestionamentos, atrelados aos problemas estruturais […]

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *