Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

19 de julho de 2024

Estudo: para brasileiros ter carro elétrico é sinônimo de status

A pesquisa também registrou que mais da metade dos brasileiros que pretende trocar de veículo nos próximos meses considera trocar por um veículo elétrico.


Por Pauline Machado Publicado 17/04/2023 às 18h00
Ouvir: 00:00
Carro elétrico sinônimo de status
As inovações tecnológicas são atributos que aumentam o interesse e a motivação pela compra de um carro novo. Foto: Depositphotos

Os dados de uma pesquisa encomendada pelo Google à Offerwise aponta que para 98% dos consumidores brasileiros, os atuais proprietários de carros elétricos e híbridos são bem sucedidos, ou seja, ter um carro elétrico seria sinônimo de status e digno de admiração.

O levantamento identificou ainda que um dos motivos para esse resultado seria a ligação e proximidade do consumidor com a tecnologia, apontado por 69%, enquanto a ligação com o meio ambiente foi apontada por 48%.

Intenções de compra

Com relação ao desejo de adquirir um carro eletrificado, a pesquisa registrou que mais da metade (52%) dos brasileiros que pretende trocar de veículo nos próximos meses considera trocar por um veículo híbrido ou elétrico. Para aqueles que pretendem comprar um modelo 0km, a porcentagem sobe ainda mais, para 65%.

Como fatores que despertam a intenção de compra desses veículos, a tecnologia (37%) e os benefícios em custos e isenções (35%) são os principais motivadores, bem à frente dos benefícios ambientais (27%).

Tecnologia como motivador de compra

As inovações tecnológicas são atributos que aumentam o interesse e a motivação pela compra de um carro novo. E, neste caso, não somente os elétricos e híbridos.

Entre os participantes da pesquisa, 39% disseram que buscam atributos ligados à eficiência, como autonomia de combustível (15%) e preço (12%). Esse resultado significa alta de sete pontos percentuais comparado à média dos últimos três anos.

Em contrapartida, 20% dos participantes citaram as inovações tecnológicas. Ou seja, isso equivale a um crescimento de seis pontos na mesma comparação com a média dos últimos três anos. O destaque fica para os aspectos de segurança (11%), ser elétrico ou híbrido (5%) e conectividade (4%).

A pesquisa ressaltou, ainda, a questão do apelo emocional (18%) assim como o conforto (17%). Estas registraram baixa de 9 e 5 pontos percentuais respectivamente na mesma comparação.

Em nota, Lara Guedes, head de negócios para o segmento de Mobilidade do Google Brasil, reforçou que a indústria automotivo está mudando de eixo.  

“O consumidor começa a ver as marcas não só como montadoras, mas também como uma indústria de tecnologia. A partir de agora, a percepção tecnológica vai ser fundamental para construir a consideração das marcas desse setor e isso requer que as empresas repensem sua estratégia, usando dados para oferecer experiências personalizadas, vendendo serviços associados aos seus produtos, e investindo na percepção de eficiência, segurança e entretenimento”, finalizou o executivo do Google.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *