Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

25 de junho de 2024

Manutenção de freios em veículos elétricos: o que você precisa saber

À medida que a frota aumenta, é importante que as oficinas compreendam as diferenças no que se refere à manutenção do sistema de frenagem.


Por Assessoria de Imprensa Publicado 26/05/2024 às 15h00
Ouvir: 00:00
Manutenção de freios em veículos elétricos
Veja informações importantes sobre manutenção de freios em veículos elétricos. Foto: Divulgação.

Os veículos elétricos – desde os híbridos até aos totalmente elétricos – estão sendo adotados em nível mundial e continuarão a aumentar em popularidade. À medida que a frota aumenta, é importante que as oficinas compreendam as diferenças no que se refere à manutenção do sistema de frenagem.

TMD Friction, líder global na fabricação de componentes de fricção para freios, explora as características únicas dos sistemas de propulsão elétricos e como eles diferem dos seus equivalentes com motores de combustão interna quando se trata de trabalhar no sistema de freios.

Raulincom Silva, Coordenador de Assistência Técnica na TMD Friction no Brasil, fabricante e líder global de produtos de fricção para freios e detentora da marca Cobreq, oferece dicas importantes para o sucesso da substituição dos itens do sistema de freios.

Sistema de Frenagem Regenerativa

Os veículos elétricos utilizam a frenagem regenerativa, uma tecnologia que converte energia cinética em energia elétrica, recarregando a bateria durante a desaceleração ou parada. Embora este sistema de frenagem inovador melhore a eficiência do veículo, ele representa um processo bastante distinto do encontrado em veículos com motor de combustão interna, exigindo uma manutenção específica. Entender essa tecnologia é essencial para manter e preservar efetivamente o sistema de frenagem de todos os veículos elétricos.

Como esse tipo de sistema depende do motor elétrico para desacelerar o veículo, ele reduz a demanda pelos freios convencionais. Isso pode causar corrosão dos discos quando não são usados por períodos prolongados. Embora os fabricantes de discos estejam trabalhando em estreita colaboração com os fabricantes de veículos para desenvolver novos revestimentos que ajudem a mitigar esse problema, ele continuará a ser um desafio para os VE no curto prazo, até que uma solução definitiva seja encontrada.

Portanto, é recomendável que sejam realizadas verificações frequentes no sistema de freios de um VE para assegurar que eles ainda funcionem adequadamente quando necessário durante quaisquer ações de frenagem.

Manutenção é Fundamental

Embora as pastilhas e os discos de freio sofram menos desgaste em um VE em comparação com um veículo com motor de combustão interna, isso não significa que sejam imunes ao desgaste. Como mencionado, o veículo pode sofrer corrosão dos discos de freio, o que já se observou em alguns veículos ainda considerados muito novos. Você também deve inspecionar regularmente a espessura da pastilha e do disco de freio, como faria com um veículo a combustão, e substituí-los se estiverem abaixo da espessura mínima especificada pelo fabricante.

É preciso realizar as verificações durante os intervalos de manutenção por um técnico qualificado com qualificação. Devido aos maiores riscos de corrosão do disco, seria benéfico incluir este tipo de inspeção como padrão sempre que o veículo chegar à oficina para manutenção ou reparos.

Durante as verificações, esteja atento a quaisquer ruídos, vibrações ou alterações incomuns no desempenho da frenagem, pois podem indicar problemas nas pastilhas e discos de freio que requerem atenção imediata.

Diferenças de Fluido de Freio

O fluido de freio se deteriora com o tempo e não é muito afetado pela distância percorrida. Os fluidos de freio convencionais são higroscópicos, o que significa que atraem e absorvem umidade da atmosfera. Esse processo ocorre durante toda a vida útil do fluido, mesmo que esteja em um sistema de freio “selado”, pois as moléculas de vapor de água podem penetrar lentamente nas mangueiras flexíveis de borracha do freio ou em outros componentes de borracha do sistema.

Com o passar do tempo, isso resulta em uma redução no ponto de ebulição do fluido de freio e aumenta o risco de corrosão dos componentes metálicos. À medida que o volume de umidade no fluido de freio aumenta, o ponto de ebulição pode atingir um nível crítico onde se torna perigoso.

É essencial seguir sempre as recomendações do fabricante do veículo sobre quando trocar o fluido de freio. Se não houver nenhuma recomendação, para uma segurança ideal, deve-se trocar o fluido de freio a cada 18 meses.

O fluido de freio em veículos elétricos requer atenção extra devido à tecnologia de frenagem regenerativa. Durante a frenagem, o motor elétrico gira na direção oposta e atua como um gerador. Isso tem implicações importantes: se utiliza menos o sistema de freio devido à recuperação da energia de frenagem, portanto, está sujeito a uma carga menor. Consequentemente, o fluido de freio deve durar mais tempo. Além disso, a bateria de um carro elétrico pesa mais, o que significa que a massa a se desacelerar é maior, resultando em temperaturas mais altas. Frequentemente, recomenda-se para carros elétricos a classificação DOT mais alta, 5.1, que é um fluido de freio com alto ponto de ebulição e excelente índice de viscosidade.

Manutenção de Pneus

A manutenção eficaz dos pneus é essencial para a segurança geral do veículo, incluindo um desempenho de frenagem eficiente. Os veículos elétricos são normalmente mais pesados do que os seus equivalentes com motor de combustão interna, portanto, estão sujeitos a uma pressão extra durante o uso diário. É importante garantir que os clientes estejam cientes disso e que os seus pneus estejam corretamente calibrados e com profundidade de sulco suficiente – o sulco mínimo é de **1,6 mm** na Europa e no Brasil, embora alguns países possam ter regulamentações diferentes.

Pneus desgastados ou com pressão insuficiente podem afetar negativamente o desempenho da frenagem, diminuindo a tração entre o pneu e a superfície da estrada, especialmente durante paradas de emergência. Inspecione regularmente os pneus em busca de sinais de desgaste irregular, faça a calibragem regularmente, de preferência com eles ainda frios e também o rodízio deles conforme recomendado pelo fabricante.

Qualificação

Os veículos elétricos são de alta tensão e é crucial que os mecânicos possuam as competências e qualificações necessárias para trabalhar nesses veículos. Embora o sistema geral de frenagem possa ser bastante similar, há diferenças singulares entre um veículo elétrico e um veículo com motor de combustão interna, que demandam conhecimento especializado e experiência para manutenção e reparos. Isso é importante não apenas porque os freios são vitais para a segurança, mas também para a segurança do aplicador que trabalha com o veículo. Dados recentes do IMI (Institute of the Motor Industry) indicam que apenas 18% dos mecânicos no Reino Unido receberam treinamento para trabalhar em veículos elétricos. Esse número varia entre regiões, mas ressalta a necessidade de as oficinas investirem na tecnologia do futuro.

Manter o sistema de freios em qualquer veículo é crucial para assegurar segurança, desempenho e longevidade. No caso de veículos elétricos, entender a tecnologia de frenagem regenerativa, realizar inspeções regulares, monitorar o desgaste das pastilhas de freio, verificar os níveis de fluido e educar sobre a manutenção adequada dos pneus garantirá que os proprietários de veículos elétricos mantenham seus freios em condições ótimas.

Tanto em veículos elétricos quanto nos convencionais a combustão, a segurança é uma prioridade máxima independentemente da fonte de energia que propulsione o veículo.

Apesar dos veículos elétricos se beneficiarem da frenagem regenerativa, eles ainda dependem crucialmente dos sistemas de freios tradicionais para garantir paradas seguras e eficazes em todas as condições de condução. Da mesma forma, nos veículos a combustão, a manutenção preventiva do sistema de freios é essencial para evitar falhas e garantir o desempenho ótimo e a TMD Friction/Cobreq, comprometida com a inovação e a segurança, já possui em seu portfólio produtos que atendem às exigências dos veículos elétricos.”, declara Raulincom Silva, Coordenador de Assistência Técnica na TMD Friction no Brasil.

Tanto em veículos elétricos quanto nos convencionais a combustão, a segurança é uma prioridade máxima independentemente da fonte de energia que propulsione o veículo. Apesar dos veículos elétricos se beneficiarem da frenagem regenerativa, eles ainda dependem crucialmente dos sistemas de freios tradicionais para garantir paradas seguras e eficazes em todas as condições de condução. Da mesma forma, nos veículos a combustão, a manutenção preventiva do sistema de freios é essencial para evitar falhas e garantir o desempenho ótimo e a TMD Friction/Cobreq, comprometida com a inovação e a segurança, já possui em seu portfólio produtos que atendem às exigências dos veículos elétricos.”, declara Raulincom Silva, Coordenador de Assistência Técnica na TMD Friction no Brasil.

À medida que caminhamos para um futuro com maior mobilidade elétrica, as oficinas precisam se adaptar, adotar novas tecnologias e aprimorar as habilidades dos técnicos – ou correm o risco de ficarem para trás.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *