Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

22 de julho de 2024

Estudo mostra dados sobre o uso de bicicleta por mulheres no Brasil

Levantamento apontou que as mulheres pedalam menos da metade do tempo em comparação aos homens.


Por Pauline Machado Publicado 16/08/2023 às 15h00
Ouvir: 00:00

A bicicleta sempre foi um símbolo do empoderamento feminino. No entanto, dados divulgados recentemente pelo Strava, plataforma de esportes do mundo, revelam que ainda existe uma grande discrepância quando se trata do tempo dedicado pelas mulheres ao ciclismo.

Um levantamento realizado antes do início do Tour de France Femmes avec Zwift, sobre a atividade ciclística feminina no Brasil, apontou que as mulheres pedalam menos da metade do tempo em comparação aos homens. A pesquisa englobou todos os tipos de ciclismo, desde deslocamento até lazer.

“Os dados mostram que as mulheres, de modo geral, dedicam menos tempo que os homens ao ciclismo, seja por lazer ou como atividade física. Até os horários em que isso ocorre são mais restritos, segundo a pesquisa. Essas informações devem orientar as políticas públicas, que envolvem desde segurança nas vias até incentivos e campanhas que tragam mais mulheres para o esporte. Queremos uma maior presença feminina em todas as modalidades esportivas”, considera Rosana Fortes, country manager do Strava no Brasil.

Números

Dados do Strava revelam que, no mundo, as mulheres passam 55% menos tempo pedalando que os homens. Entretanto no Brasil, esse número chega a 37%, em linha com a disparidade de gênero observada globalmente.

Esta é uma lista da diferença, para menos, do tempo destinado à bicicleta pelas mulheres, com relação ao tempo de uso por homens, em alguns importantes países:

  • Japão: – 64%
  • Espanha: – 62%
  • França: – 54%
  • EUA: – 45%
  • Alemanha: – 44%
  • Brasil: – 37%

A plataforma apontou, ainda, que as mulheres são mais propensas a dedicar mais tempo ao lazer de bicicleta do que para locomoção ao trabalho, com considerável diferença, uma vez que os homens pedalam 511,02% mais tempo que as mulheres para deslocamento. Entre agosto de 2022 a maio de 2023, os homens passaram 91,74% do tempo usando bicicleta para lazer, enquanto as mulheres usaram 93,61% do tempo.

Outros registros

O período da manhã é mais popular do que o período da noite para pedalar. Sendo o horário mais comum para mulheres saírem de bicicleta no Brasil é às 6h para  deslocamento e às 7h para o lazer.

Já no plano global, as mulheres têm 23% menos probabilidade do que os homens de registrar qualquer tipo de atividade antes do nascer do sol assim como 8% menos probabilidade após o pôr do sol.

Por fim, o Strava também identificou os locais preferidos para pedalar nas capitais do Brasil

São Paulo – SP: Ponte Cidade Jardim, Pista do Jóquei, Ponte Hebraica-Rebouças x Cidade Jardim,  Estação Pinheiros – Marginal, Eusébio Matoso – Cidade Jardim.

Belo Horizonte – MG: Lagoa da Pampulha,  sprint da Lagoa da Pampulha, KM 16 Lagoa da Pampulha.

Porto Alegre – RS: Ciclovia Beira Rio, Sprint final Ciclovia Beira Rio, Marinha do Brasil, Parque Gigante, Largo Dom Vicente a Parque Gigante.

Rio de Janeiro – RJ: Orla de Ipanema – Arpoador, Miguel Lemos a Figueiredo – Orla de Copacabana, Joana Angélica a Teixeira de Melo – Orla de Copacabana, Garcia d’Ávila a Joana Angélica – Orla de Copacabana, Av Vieira Souto.

Florianópolis – SC: Ciclovia Beira-Mar Norte, Sprint via amiga- Praça de Portugal, Praça Rep. da Grécia,

Curitiba – PR: Shopping Curitiba – Praça Japão, Subida – praça Oswaldo Cruz, 24 de Maio – Praça Japão.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *