Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

17 de julho de 2024

Monitoramento veicular alerta para fadiga e uso de celular

Sistema analisa imagens no interior da cabine e emite alertas para motorista e gestor de frotas.


Por Assessoria de Imprensa Publicado 29/06/2024 às 15h00
Ouvir: 00:00
monitoramento fadiga
O objetivo do monitoramento de fadiga é auxiliar os motoristas e as empresas na condução de seus veículos. Foto: Divulgação.

Imagine um sistema de monitoramento veicular que identifica o uso do celular ao volante e percebe sinais de fadiga ou de distração do motorista emitindo um alerta sonoro imediato para uma situação de perigo iminente, diminuindo os riscos de acidentes nas estradas. Além disso, indica essas e outras ocorrências (excesso de velocidade, curvas bruscas, freadas bruscas, entre outras) em relatório com imagens para o gestor da frota. O uso de ferramentas de inteligência artificial capazes de detectar alterações de padrão de comportamento em imagens captadas por câmeras instaladas em automóveis, ônibus, vans, máquinas ou caminhões possibilita que o monitoramento de veículos avance para além da segurança contra furtos e roubos.

Esta novidade tecnológica vem para auxiliar os motoristas e as empresas na condução de seus veículos.

“O funcionamento do sistema, apesar de toda tecnologia utilizada, é de fácil compreensão e usabilidade. A câmera ‘percebe’ quando há uma mudança na forma de comportamento do condutor emitindo alertas instantâneos ao mesmo, e a plataforma por sua vez, gera as ocorrências a serem tratadas. Se ele boceja seguidas vezes ou pisca os olhos com frequência, por exemplo, há indicativo de cansaço em excesso. Se leva o celular ao ouvido, a mudança na imagem também é identificada gerando o respectivo alerta”, diz Nabor Cenci, gerente do segmento de rastreamento da Orsegups, empresa responsável pelo serviço.

“Até mesmo o ‘olhar para baixo’ típico de quem usa o celular no colo é capturado pela câmera”. Assim que identifica um comportamento inadequado, a chamada vídeo telemetria dispara o aviso sonoro no interior do veículo e armazena dez segundos de imagens que podem ser consultadas pelo gestor da frota para avaliar a situação e melhorar processos internos, que podem passar pela criação de programas de treinamento dos motoristas e reavaliação do uso do veículo. Essa tecnologia visa proteger vidas, patrimônio, evitar multas e resguardar a imagem das empresas através da condução consciente de seus veículos.

O Atlas da Acidentalidade no Transporte, levantamento do Programa Volvo de Segurança no Trânsito (PVST), reforça a necessidade de preocupação com o comportamento dos condutores.

Em 2021 (informação mais recente) a falta de atenção foi a causa de 22537 acidentes que causaram a morte de 1503 pessoas em rodovias brasileiras. Apenas a desobediência à sinalização matou mais. Foi associada a 8323 acidentes nos quais morreram 1552 pessoas.

Além das câmeras internas, o sistema permite instalar câmeras para acompanhar o que acontece do lado de fora do veículo. “As imagens podem ser uma ferramenta fundamental para a defesa dos motoristas assim como da empresa em algumas ocorrências. Em caso de acidente, por exemplo, podem ser prova incontestável da responsabilidade de um terceiro”, diz Nabor.

O sistema inclui os serviços de rastreamento veicular, criado para combater roubos e furtos, mas usado também na gestão de frotas. Por isso, diz o gestor, o mercado alvo da novidade inclui empresas que desejam aprimorar o uso dos veículos em sua cadeia produtiva, como as transportadoras de cargas ou de passageiros, empresas de engenharia, prestadores de serviços, distribuidoras, e redes varejistas entre outros, bem como se adequar às normas exigidas pelo contratante dos serviços ou embarcador.

“A tecnologia pode aumentar a segurança nas vias e diminuir o risco de multas e acidentes, o que gera benefícios sociais e econômicos”.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *