Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

14 de julho de 2024

PR aposta na eletromobilidade como pilar de inovação e sustentabilidade


Por Agência de Notícias Publicado 07/06/2022 às 21h30 Atualizado 08/11/2022 às 21h09
Ouvir: 00:00

Tornar a eletromobilidade mais acessível tem sido tema de discussões constantes para o desenvolvimento de políticas públicas, na busca por soluções sustentáveis no trânsito.

Gestores públicos estiveram reunidos na semana passada para discutir a promoção da eletromobilidade no Paraná. Na ocasião, a Superintendência Geral de Inovação apresentou a frota de veículos elétricos que está à disposição do serviço público. Vinculada à Casa Civil, a SGI vem atuando no incentivo à eletromobilidade, de questões de infraestrutura ao incentivo ao uso de automóveis movidos à energia limpa, que conferem maior eficiência e menor consumo em comparação com os modelos tradicionais à combustão.

Tornar essa tecnologia mais acessível ao paranaense tem sido tema de discussões constantes para o desenvolvimento de políticas públicas, na busca por soluções sustentáveis no trânsito.

Elas passam por isenção do IPVA, aumento da eletrovia e parcerias, e tem como foco as metas da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas (ONU).

Em outubro de 2019, o governador Carlos Massa Ratinho Junior sancionou a lei que isentou os veículos elétricos do pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), que era de 3,5%.

Conforme o governo, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) também já aprovou três projetos da Copel voltados ao fomento da mobilidade elétrica. Eles totalizam um investimento de R$ 15,6 milhões. Os projetos serão executados ao longo dos próximos 36 meses e visam soluções tecnológicas para melhorar a gestão da eletrovia bem como a integração entre a concessionária que administra o trecho, eletropostos, proprietários de veículos elétricos e a indústria da mobilidade elétrica.

“Pretendemos tornar os veículos elétricos mais acessíveis à população e o Paraná já começa a ser uma referência nacional no tema porque tem estradas preparadas. Nesse sentido, precisamos de soluções sustentáveis no trânsito e o uso de carros que poluem menos é uma delas”, destaca Ratinho Junior.

Outros projetos

Além das rodovias e da tributação, há outros projetos de eletromobilidade que envolvem o trânsito sustentável nas cidades. Está incubado no Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) o projeto Smart Energy. Ele tem como missão desenvolver as competências locais em energias renováveis e sensibilizar a sociedade para o uso consciente da produção de energia limpa.

Mais eletromobilidade

O Tecpar, por exemplo, também firmou parceria com a Renault para disponibilizar ao instituto a plataforma do Twizy, veículo elétrico produzido pela montadora.

Com a plataforma e os dados abertos do protótipo disponibilizado pela montadora, pesquisadores do instituto podem desenvolver novos estudos para criarem modelos de veículos elétricos.

Em 2020 o Governo lançou o Projeto VEM PR, em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial – ABDI e a Fundação Parque Tecnológico de Itaipu (PTI). A parceria trabalha no desenvolvimento de soluções tecnológicas em mobilidade. E, além disso, tem o objetivo de diminuir o custo de operação e manutenção por veículo, taxa de utilização superior em relação aos tradicionais, diminuição da emissão de gases tóxicos, modelo de promoção do compartilhamento e ampliação do debate sobre políticas voltadas à mobilidade elétrica.

Foram investidos, pela ABDI e FPTI, R$ 2 milhões nesse projeto. Sendo R$ 1,8 milhão na aquisição dos carros, que são importados, e aproximadamente R$ 200 mil no desenvolvimento da plataforma de gestão de compartilhamento. Os veículos estão equipados com um software desenvolvido pelo PTI no Living Lab. Um espaço criado pelas duas entidades em Foz do Iguaçu, no Oeste do Estado.

Para expandir o uso desta tecnologia o Estado firmou parcerias com órgãos da administração pública (secretarias de Saúde e Comunicação Social e Cultura), assim como Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE e Tribunal de Justiça para a cessão dos veículos. Além disso, para a implantação de infraestrutura de abastecimento (eletroposto), ampliando o compartilhamento dos veículos.

A eletromobilidade também é parte do Detranzinho de Curitiba, minicidade onde as crianças aprendem na prática como funciona o dia a dia no trânsito.

O local simula, em uma escala menor, as áreas de trânsito de uma cidade, com vias, bem como calçadas e sinalização. As crianças que participam do projeto, por exemplo, trafegam de bicicletas e mini veículos elétricos, doados pela Renault. É possível abastecê-los em pequenos eletropostos, instalados pela Copel.

As informações são da Agência Estadual de Notícias

 

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *