Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

21 de julho de 2024

Contran autoriza uso de semirreboque com eixo elétrico por caminhões


Por Mariana Czerwonka Publicado 18/05/2022 às 16h30 Atualizado 08/11/2022 às 21h10
Ouvir: 00:00

Conforme o Ministério da Infraestrutura, o mecanismo aumenta eficiência logística e reduz consumo de combustível pelos veículos.

O uso de semirreboque com eixo elétrico para veículos de carga foi autorizado no país pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Em reunião extraordinária, o órgão aprovou a regulamentação do sistema, que recupera a energia gerada durante frenagens ou descidas, tornando a carreta capaz de ajudar o caminhão a subir terrenos íngremes de forma mais segura e eficaz. A decisão ainda não foi publicada em Diário Oficial.

De acordo com o Ministério da Infraestrutura, com o dispositivo, os veículos de transporte de carga terão mais eficiência logística. Assim como, redução do consumo de energia, redução da emissão de gases na atmosfera e mais segurança veicular. Ele funciona como um sistema auxiliar de tração, sem substituir o sistema de tração principal do caminhão. Antes da análise pelo Contran, o tema esteve em consulta pública virtual pela plataforma Participa+Brasil.

“A reunião de hoje foi de alinhamento entre política e regulação. Além disso, preocupação com o meio ambiente, inovação tecnológica, segurança e, sobretudo, simplificação regulatória. Esses são elementos que fazem parte da agenda de trânsito do MInfra”, afirmou o secretário-executivo do Ministério da Infraestrutura, Bruno Eustáquio.

Característica do semirreboque com eixo elétrico

Um dos fabricantes de eixos elétricos, a Randon, afirma que o equipamento é capaz de proporcionar uma economia de combustível de até 25% a depender da aplicação, peso e condições de estrada. Em testes realizados, o uso do sistema contabilizou consumo de 15 litros de diesel por hora. Sem o auxílio da tração elétrica, por exemplo, a marca foi de 36 litros/hora.

Ainda conforme a fabricante, além da redução do consumo, especialmente em rotas de topografia montanhosa, o equipamento também promete como consequência menos emissões, mais segurança nas viagens e menor desgaste de componentes.

Grupo de trabalho

O Contran também aprovou o parecer favorável à adesão do Brasil ao Fórum Mundial para a Harmonização dos Regulamentos Técnicos Veiculares (WP.29) da Organização das Nações Unidas (ONU). Esse é um grupo de trabalho que administra acordos relativos às prescrições técnicas para a construção, bem como homologação de veículos com rodas. O Brasil será o primeiro país da América Latina a compor o fórum.

 

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *