Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

19 de julho de 2024

Conheça os sinais de desgaste do amortecedor da motocicleta


Por Mariana Czerwonka Publicado 02/11/2020 às 16h23 Atualizado 08/11/2022 às 21h40
Ouvir: 00:00

Instabilidade em arrancadas, vazamento ou ruídos podem apontar que a vida útil do amortecedor da motocicleta chegou ao fim.

Majô Gonçalves –

Assessoria de Imprensa

Amortecedor motoFoto: Arquivo Tecnodata.

Responsável por absorver as irregularidades do solo, o amortecedor de motocicletas, assim como nos automóveis, faz parte dos itens segurança e, por isso, deve estar em perfeitas condições de uso. “O amortecedor da moto é um dos componentes fundamentais para garantir a segurança do piloto e também o conforto. Seu papel é controlar as oscilações da suspensão, conservar o contato dos pneus com a via e proporcionar, além da segurança e conforto, estabilidade”, explica Jeferson Credidio, gerente de produtos da Nakata.

É importante o amortecedor desempenhar sua função adequadamente para que não ocorram acidentes.

“O desgaste compromete seu funcionamento, portanto é essencial fazer revisões periódicas e ficar atento a qualquer sinal de anormalidade”, ressalta.

O gerente da Nakata destaca alguns dos indícios de que o amortecedor pode estar comprometido. “Caso a motocicleta apresente instabilidade em frenagens, arrancadas ou se continuar oscilando ao passar por lombadas ou depressões, o amortecedor deve ser verificado imediatamente”, adverte.

Ruídos vindos da suspensão também devem ser observados. “Barulhos podem surgir se o amortecedor perder a pressão interna da câmara ou ocorrer a quebra de algum componente”, comenta.

Um sintoma que pode ser identificado facilmente é o vazamento de óleo, basta examinar externamente o amortecedor. Caso em que deverá ser substituído.

Ao trocar o amortecedor, analise também outros componentes como o kit de transmissão que é composto por coroa, pinhão e corrente, os freios, pneus e rodas.

Para conferir esta e outras dicas, basta acessar o blog da Nakata.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *