Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

21 de fevereiro de 2024

Waze passa a ter alerta sobre vias com maior histórico de acidentes

Waze anunciou a chegada de um novo recurso que traz mais segurança aos motoristas brasileiros: um alerta sobre vias com um alto histórico de acidentes.


Por Pauline Machado Publicado 21/11/2023 às 15h00
 Tempo de leitura estimado: 00:00
Waze acidentes
Waze avisa sobre vias com alto índice de acidentes. Foto: Divulgação Waze

Recentemente o aplicativo de GPS, Waze anunciou a chegada de um novo recurso que traz mais segurança aos motoristas brasileiros: um alerta sobre vias com histórico de alto índice de acidentes.

O aplicativo informa que, quando a rota traçada pelo motorista incluir uma estrada propensa a acidentes, o Waze mostrará, previamente, um alerta com a mensagem: “histórico de acidentes”.

O alerta, que já funcionava em modo de testes em outros países, nas versões beta para o Android e o iOS, chegou ao Brasil no início de novembro, com liberação prevista para acontecer de forma gradual para toda a base de usuários do aplicativo.

Segurança e Tecnologia

De acordo com a plataforma, o recurso combina Inteligência Artificial (IA) e os registros da comunidade Waze para criar os alertas de histórico de acidentes, que conciliam dados de colisões e informações relevantes sobre as rotas dos motoristas.

Como medida de segurança, a ferramenta faz uso da IA para verificar as características da estrada como níveis de tráfego, se é uma rodovia ou estrada local. Além disso, se tem elevação, entre outras. A iniciativa tem como objetivo alertar os motoristas sobre as vias em que eles devem ter mais cuidado ao dirigir. Isso porque os alertas de histórico de acidentes não são mostrados em rotas navegadas regularmente pelos usuários.

O aplicativo destacou, ainda, que o Brasil é o terceiro maior número de mortes no trânsito do mundo, em números absolutos. As informações são de uma pesquisa divulgada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2022, e medidas como essa buscam tentar reverter esse cenário.

O que diz a especialista

“A iniciativa do Waze em lançar um recurso que alerta os motoristas sobre vias com um histórico mais significativo de acidentes é, sem dúvida, uma adição valiosa para a segurança nas estradas. Esta ferramenta pode desempenhar um papel crucial na prevenção de acidentes e na promoção de uma condução mais consciente. Ao fornecer informações em tempo real sobre as áreas com maior risco, o aplicativo possibilita que os motoristas tomem decisões informadas sobre rotas alternativas. Assim, ajustem sua velocidade ou simplesmente estejam mais atentos ao dirigir nessas regiões.

Contudo, é importante ressaltar que, embora essa iniciativa seja positiva, ela não deve substituir a responsabilidade individual dos condutores. A conscientização sobre os próprios comportamentos ao volante e o respeito às normas de trânsito continuam sendo elementos essenciais para garantir a segurança nas estradas. O Waze, ao fornecer dados sobre áreas de maior risco, pode ser uma ferramenta complementar. A educação e o comprometimento dos motoristas com a segurança no trânsito, porém, são fundamentais para a eficácia global desse esforço.

Além disso, é necessário considerar questões relacionadas à privacidade e à confiabilidade dos dados. Os usuários devem sentir-se seguros ao compartilhar informações com o aplicativo, garantindo que a coleta e o uso dos dados sejam transparentes e protegidos.

Em última análise, a introdução desse recurso destaca a importância da tecnologia na melhoria da segurança viária. No entanto, também existe a necessidade contínua de abordagens abrangentes que envolvam tanto a tecnologia quanto o comportamento individual. Dessa forma, para criar um ambiente rodoviário mais seguro e eficiente”, avalia a especialista em Trânsito e Mobilidade Urbana, Mércia Gomes.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *