Notícias

Notícias

Motoristas gastam R$ 4,8 bi a mais de gasolina em SP 

Motoristas gastam R$ 4,8 bi a mais de gasolina em SP
Já o consumo de etanol hidratado, que havia sido de 17,863 bilhões de litros em 2015, caiu para 14,586 bilhões de litros em 2016.

Uma pesquisa da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) apontou que os motoristas da cidade de São Paulo tiveram um custo maior de R$ 4,85 bilhões com combustível em 2012 por causa dos congestionamentos. O valor é 41% maior que o estimado há dez anos – período em que a frota de veículos da capital paulista cresceu 47%, para 4,8 milhão de automóveis, com média de 0,42 carro por habitante.

O cálculo foi feito com base na diferença de consumo de carros se movendo a uma velocidade média de 50 km/h (sem trânsito) e a 17,5 km/h, que foi a velocidade média registrada em 2011 – último ano com dados fornecidos pela CET. Levando em consideração o preço médio de litro da gasolina a R$ 2,60, segundo dados da ANP, a fórmula calculou quanto os motoristas gastam a mais para percorrer 30 km diários durante 210 dias (253 dias úteis menos 43 dias de rodízio).

O estudo também apresentou valores adicionais com diesel para os ônibus, prejuízos para as empresas de transporte de carga e problemas relacionados à poluição, que elevam a soma para R$ 9,98 bilhões no total com gastos pecuniários. Mas este não é o único tipo de prejuízo provocado pelos congestionamentos. De acordo com a pesquisa, o volume de perdas provocadas pelo trânsito em São Paulo atingiu R$ 40 bilhões no ano passado.

Este total leva em conta o chamado custo de oportunidade dos motoristas e passageiros que ficam “inúteis” no trânsito. Com dados do Produto Interno Bruto (PIB) e da população economicamente ativa da cidade, calculou-se uma média de R$ 44,31 o valor que cada trabalhador produz por hora nos dias úteis. A pesquisa considerou uma média de três pessoas por carro e a extensão dos congestionamentos registrados para chegar a um valor de R$ 30,1 bilhões perdidos com a ociosidade de trabalhadores no trânsito em 2012.

Entre 2002 e 2012, o custo de oportunidade triplicou nominalmente, de R$ 10,3 bilhões para R$ 30,2 bilhões. “Os congestionamentos em São Paulo não são um mero problema local, mas um gargalo nacional. A lentidão crescente dos deslocamentos implica custos bilionários. E mais grave ainda, a tendência é que continuem aumentando, pois a frota prossegue em firme expansão”, afirma o estudo coordenado pelo vice-presidente da FGV, Marcos Cintra.

Fonte: Expresso MT


Artigos Recomendados Para Você

Deixe um comentário

Campos obrigatórios *