Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

26 de fevereiro de 2024

Polícia Rodoviária Federal alerta quem vai viajar no fim de ano


Por Mariana Czerwonka Publicado 10/12/2012 às 02h00 Atualizado 08/11/2022 às 23h55
 Tempo de leitura estimado: 00:00

Negligência, a imprudência e a imperícia do condutor são as maiores causas de acidentes

Os feriados de final de ano e a proximidade das férias escolares aumentam o fluxo de veículos nas rodovias de todo o país e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) começa a planejar as estratégias para o período. Um dos primeiros pontos será o reforço do policiamento em trechos críticos das estradas. “Nesta época, a PRF trabalha com todo o seu efetivo, suspendendo férias e com escalas de reforço extraordinárias”, diz o assessor de imprensa da PRF, inspetor Fabiano Moreno.

Segundo ele, nesses períodos, as pessoas acabam abusando do álcool e a imprudência aumenta. Por isso, a Lei Seca será um dos principais instrumentos de fiscalização. “Sem dúvida a chamada Lei Seca é uma das principais armas da PRF na redução de acidentes.”

O inspetor lembrou que o motorista alcoolizado se envolve em acidentes mais graves, por isso a fiscalização será rigorosa. Ele disse que o condutor que apresentar sinais de embriaguez e se negar a fazer o teste do bafômetro terá a carteira suspensa por um ano e estará sujeito a multa de R$ 957.

Fabiano Moreno disse também que os motoristas que pretendem pegar a estrada nos dias de festa não podem esquecer os cuidados com o carro, mas o principal é saber se têm condição física e psicológica para fazer a viagem.

Ele lembrou que a negligência, a imprudência e a imperícia do condutor são as maiores causas de acidentes. Não checar o veículo e os equipamentos de segurança; fazer manobras e ultrapassagens em locais proibidos; dirigir em excesso de velocidade e sem conhecer as rodovias podem trazer consequências graves. “O fator humano é o que mais contribui para os acidentes.”

O inspetor também alerta para o perigo de dirigir à noite. Segundo ele, embora a maioria dos acidentes aconteça de dia, à noite os casos são mais graves, com maior número de mortos e mais demora no socorro. “O motorista tende a se exceder na velocidade. À noite o motorista vê a rodovia em parcelas, só até onde o farol ilumina e seu tempo de reação é menor. Há também o fator cansaço.”

Segundo o inspetor, nas rodovias mais movimentadas que levam ao litoral, nas áreas urbanas e em regiões de serra com muitas curvas, a atenção deve ser dobrada. “Trecho perigoso é aquele em que o motorista superestima a sua capacidade de dirigir e subestima as adversidades. Quando o motorista baixa a atenção, ele torna o trecho perigoso.”

O inspetor recomenda que antes de viajar o motorista se informe sobre o destino, as condições de tempo, a expectativa de saída de veículos, verifique onde há postos de apoio e anote também os números de emergência da região. O telefone de emergência da PRF é 191, a ligação pode ser feita de celular e é gratuita. Em vários estados a PRF tem o Twitter, cujo endereço é sempre @prf191 mais a sigla do estado.

Com informações da Agência Brasil

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *