Notícias

Notícias

Quantidade de multa cresce mais que a frota de carros 

Levantamento realizado pelo Detran revela que Pernambuco registrou aumento de 39,15% no número de infrações cometidas pelos motoristas nos últimos sete meses do ano em relação ao mesmo período de 2011. Já são 451.053 multas aplicadas, enquanto no ano passado foram 324.141 Mais carros nas ruas, menos espaço nas vias, mais motoristas estressados ao volante e, como consequência, mais infrações. Essa é a lógica dos tempos atuais, quando a redução do IPI para compra de automóveis dura quase um semestre. Lógica comprovada em números. Levantamento realizado pelo Detran revela que Pernambuco registrou aumento de 39,15% no número de infrações cometidas pelos motoristas nos últimos sete meses do ano em relação ao mesmo período de 2011. Já são 451.053 multas aplicadas, enquanto no ano passado foram 324.141. Quando se parte para a análise das infrações de motoqueiros, os números aumentam ainda mais: crescimento de 55,40% numa comparação de 2009 até o início de agosto deste ano. O Detran prefere desassociar o crescimento das multas do aumento da frota. Aposta no incremento da fiscalização de trânsito no Estado, seja a realizada pelos seus agentes, os envolvidos na Operação Lei Seca, ou a feita pelos batalhões da Polícia Militar. Principalmente na Região Metropolitana do Recife. “Apertamos o cerco. O número de abordagens aumentou sensivelmente. Estamos mais presentes nas ruas. A criação do Comitê Estadual dos Acidentes de Motos e a ampliação das blitzes da Lei Seca ajudaram bastante”, argumenta o gerente de Fiscalização do Detran, Sérgio Lins. Para desassociar as multas do crescimento da frota veicular do Estado, Sérgio Lins lembra que a quantidade de carros teve aumento de quase 11% em um ano – a frota em julho era de quase 2,2 milhões –, enquanto as infrações subiram 39%. “O que provocou esse aumento foi a intensificação da fiscalização. A Lei Seca virou política de governo, o Detran teve reforço de 30 agentes e o comitê criou metas para cada órgão envolvido com o trânsito. Houve direcionamento das operações para isso. Mais motoristas de carros e, principalmente, motoqueiros, passaram a ser abordados nas blitzes”, lembra. As blitzes da Operação Lei Seca, de fato, estão abordando mais motoristas. O critério de escolha do condutor pelo sinal de possível embriaguez está sendo cada vez menos usado. Quando possível, todos que passam pela abordagem são convidados a fazer o teste do etilômetro. Os dados da operação mostram essa mudança. Em nove meses de operação subordinada à Secretaria Estadual de Saúde, a Lei Seca abordou 176 mil veículos e realizou 177 mil testes de alcoolemia basicamente no Grande Recife. A infração mais praticada pelos motoristas continua sendo a mesma de 2011. O excesso de velocidade lidera, seguido pelo avanço de sinal e o estacionamento irregular. No caso dos motociclistas, as multas mais comuns são dirigir sem habilitação e sem capacete, infrações que, segundo o Detran, passaram a ser mais identificadas exatamente porque as abordagens aumentaram. Fonte: Jornal do Commercio

Artigos Recomendados Para Você

Deixe um comentário

Campos obrigatórios *

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Politica de Privacidade.

Trocar a senha

Identifique-se para receber um e-mail com as instruções de nova senha.

[wp_user active='forgot']