Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

23 de julho de 2024

Trânsito caótico: quem são os culpados?


Por Mariana Czerwonka Publicado 23/06/2014 às 03h00 Atualizado 08/11/2022 às 23h10
Ouvir: 00:00

Trânsito caótico

* Texto de Rafael Kesler

Carro mal usado, tal qual letal arma: mata, devasta, arruína, extermina.

No Brasil, onde é abundante terrível desordem, pavorosa caotização e extremo desarranjo do fluxo incessante de veículos, infelizmente é assim: em várias regiões mortandade assustadoramente assola.

Motoristas e motociclistas imperitos, negligentes, imprudentes; ou vítimas inocentes; lamentável e regularmente falecem em rodovias desestruturadas, padecem tristemente em estradas esburacadas, sem a mínima infraestrutura.

Triste, lastimosa, enternecedora realidade.

Quem é o culpado pela “chacina veicular” constante em diversos pontos viários? O fatídico e implacável destino ou incompetentes políticos, governantes e agentes públicos que, pela ação inapropriada ou pela ignominiosa inação, contribuem para funesta proliferação de avariados trechos da morte, danosas curvas letíferas, mal sinalizadas vias (sejam urbanas, sejam rurais), etc.?

Quem são os responsáveis pelas frequentes carnificinas que impiedosamente esfacelam incontáveis e infortunadas vidas no deplorável e mortífero trânsito brasileiro?

Sim, são vocês: motoristas e motociclistas que agem com danífica imprudência, nociva negligência e perniciosa imperícia. Também são vocês: políticos, agentes públicos e governantes que não oferecem condições decentes para que o povo trafegue seguramente com seus veículos.

***

 Enquanto você lê este singelo texto, nalgum lugar, talvez em áspero asfalto frio ou em quente e pedregoso chão, agonizantemente inspiram pela última vez indivíduos que terão suas vidas abreviadas pelo impetuoso e violento impacto que horrivelmente esmaga, dolorosamente fratura, inexoravelmente despedaça, ferozmente estraçoa.

Diariamente, destrutivas toneladas de aço destroçam fragilíssimas carnes humanas de norte a sul, de leste a oeste

Agora, alguém preso em atrozes ferragens, tenta respirar, mas não consegue. Tenta inspirar, mas não consegue… Tormentosamente sucumbe. Muito triste.

Políticas governamentais de estruturação viária nacional já! Mobilizemo-nos para que isso aconteça.

Punições mais rigorosas para aqueles que utilizam carros e motos como mortais armas já! Lutemos pela concretização desse anseio.

***

Prezado leitor, valorize sua vida e a vida alheia: dirija cuidadosamente, respeite as sinalizações, seja previdente e atencioso no trânsito.

Chega de vidas e sonhos estraçalhados brutalmente nas ruas, estradas e rodovias de nossa desordenada Pátria. Chega!

* Rafael Kesler. Araguarino, 24 anos, bacharelando em Direito, licenciando em Letras, autor do blog: www.rafaelkesler1234.blogspot.com Contato: rafaelkesler1234@hotmail.com

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *