Notícias

Notícias

Atravessadores abordam pacientes em busca do seguro DPVAT 

Atravessadores abordam pacientes em busca do seguro DPVAT

Vítimas que recebem o DPVAT

Não são somente familiares e amigos de pacientes que ficam aglomerados em frente aos hospitais de Curitiba. Nas unidades que recebem as vítimas de acidentes de trânsito é comum encontrar profissionais oferecendo assessoria para “agilizar” a liberação do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT). Embora não haja nenhuma ilegalidade no serviço de despachante, nem todos os “caça-DPVAT” deixam claro que o encaminhamento do pedido de indenização possa ser feito sem o intermédio de terceiro. E essa prática só aumenta na capital paranaense, que integra o terceiro estado brasileiro com mais indenizações registradas em 2013, concentrando 7,56% dos 633.845 benefícios pagos.

Basta fazer um levantamento na internet para descobrir vários nomes de empresas com esse fim atuando em Curitiba. Nesta semana, a Tribuna se deparou com a ação de profissionais da empresa Prontidão, nos arredores do Hospital do Trabalhador. Segundo o Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-PR), não há registros de reclamações da empresa.

A assessoria da seguradora Líder DPVAT, administradora do benefício, recomenda que o segurado é a pessoa mais indicada para tratar dos próprios interesses. Tal atenção evita, inclusive, que o assegurado assine sem perceber uma procuração e perca a quantia para fraudadores.

Além disso, o tempo para análise do processo e pagamento da indenização é o mesmo, ou seja, em torno de 30 dias a contar a data da entrega dos documentos. O que muda é quanto ficará com o beneficiário, uma vez que essas assessorias costumam cobrar em torno de 20% sobre o valor recebido.

Todas as vítimas de acidentes de trânsito envolvidas nos três tipos de situações contempladas pelo seguro têm direito a receber as indenizações. Os recursos são provenientes dos proprietários de veículos, que anualmente pagam o DPVAT. Do total arrecadado, 45% são repassados ao Ministério da Saúde (SUS), para custeio do atendimento médico-hospitalar às vítimas de acidentes de trânsito em todo país. Outros 5% são repassados ao Ministério das Cidades, para aplicação exclusiva em programas destinados à educação e prevenção de acidentes de trânsito. Os demais 50% são voltados para o pagamento das indenizações.

Correios

Os pontos de atendimento para a solicitação do seguro passaram de 4.783 em 2012 para 7.757 no ano passado, em função da parceria firmada com os Correios. Para consultar os endereços dos pontos de atendimento ou a documentação necessária basta telefonar para 0800 022 12 04 ou consultar o site www.dpvatsegurodotransito.com.br. O prazo para pedir a indenização é de até três anos, a contar da data do acidente.

Veja como solicitar o DPVAT, clique aqui.

Fonte: Paraná Online

Artigos Recomendados Para Você

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *

Trocar a senha

Identifique-se para receber um e-mail com as instruções de nova senha.

[wp_user active='forgot']