Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

02 de março de 2024

Posto de concessionária em rodovia bloqueada por protesto no MT é incendiado


Por Banda B Publicado 20/11/2022 às 17h34 Atualizado 16/03/2023 às 15h44
 Tempo de leitura estimado: 00:00

Um grupo armado atacou e incendiou uma base da concessionária Rota do Oeste, na BR-163, entre Lucas do Rio Verde e Nova Mutum, no Mato Grosso, na noite deste sábado, 19. Ninguém se feriu. Um guincho e uma ambulância da concessionária que administra a rodovia foram queimados, e tiros foram disparados contra a base do Sistema de Apoio ao Usuário (SAU). O trecho da rodovia foi interditado por manifestantes bolsonaristas, mas não há confirmação de que o ataque tenha partido de participantes do protesto.

Peritos da Policia Federal chegaram ao local na manhã deste domingo, 20. As investigações serão conduzidas pela Policia Rodoviária Federal (PRF), segundo a Polícia Civil de Lucas do Rio Verde. As Forças de Segurança do Mato Grosso divulgaram um vídeo de câmera de segurança que mostra o momento do ataque. O grupo desce de duas caminhonetes e ateia fogo à ambulância e ao guincho usando coquetéis molotov. Ao menos nove pessoas aparecem nas imagens portanto armas de fogo, além dos artefatos incendiários.

Foto: Polícia Civil do Mato Grosso

Outro vídeo que circula nas redes sociais mostra os funcionários da concessionária em pânico após o ataque. Um deles afirma que os agressores “chegaram atirando” e mandaram os trabalhadores saírem. Outro funcionário afirma que o grupo “quebrou tudo”, jogou gasolina na base e ateou fogo à estrutura. No mesmo vídeo, um dos funcionários afirma que os incendiários rumaram em direção a outra base da concessionária em Nova Mutum, mas não houve registro de um segundo ataque.

Rodovias interditadas com mais violência

Dois dias depois de o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes bloquear contas e confiscar bens de suspeitos de organizar e financiar atos antidemocráticos, manifestantes voltaram a bloquear rodovias em Mato Grosso. São 21 pontos de bloqueio na tarde deste domingo, segundo a PRF. As convocações para os protestos ocorreram em grupos de WhatsApp.

Dos 43 suspeitos de financiar protestos identificados, 34 são de Mato Grosso, a maioria ligada aos setores de transportes e agronegócio. Os financiadores identificados vêm das cidades de Sorriso (21 suspeitos), Água Boa (4), Cuiabá (2), Nova Mutum (2), Tapurah (2), Campo Novo do Parecis (1) e Guarantã do Norte (1).

Nesta segunda onda de protestos, informações policiais indicam a adoção de táticas mais violentas, como uso de armas de fogo, apedrejamento e fogo em veículos. Nas convocações para as manifestações nos grupos de WhatsApp, os participantes prometem intimidar quem tentar “furar os bloqueios”. Além de armas, segundo policiais militares o “modus operandi” dos bloqueios que retornaram ficou mais complexo. Além de queimar pneus e usar pedaços de madeira e galhos para bloquear as vias, os manifestantes agora utilizam óleo, pregos e areia para impedir o tráfego.

Na sexta-feira, manifestantes bolsonaristas incendiaram um carro durante bloqueio em outro trecho da mesma rodovia, em Dourados, em Mato Grosso do Sul. O grupo ateou fogo em uma barricada de pneus no momento em que o automóvel passava pelo local. O motorista conseguiu sair do veículo em chamas sem ferimentos.

Neste domingo, 20, a PF e a PRF abriram uma operação sobre os bloqueios no Mato Grosso do Sul. Os policiais cumprem três mandados de busca e apreensão e um de prisão preventiva na operação batizada de Unlock. As ordens foram expedidas pela Justiça Federal em Dourados (MS).

Publicado primeiro por

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *