Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

26 de fevereiro de 2024

CFCs estão trabalhando por um trânsito melhor


Por Mariana Czerwonka Publicado 10/10/2014 às 03h00 Atualizado 08/11/2022 às 23h03
 Tempo de leitura estimado: 00:00
CFCs por um trânsito melhorIlma Nunes Vieira e Celso Alves Mariano.

Contribuir com o futuro do trânsito brasileiro e ajudar a diminuir os índices de mortes de jovens no trânsito. Esses são alguns dos objetivos da proprietária do Centro de Formação de Condutores (CFC) Mika, localizado em Vila Velha, no Espírito Santo, Ilma Nunes Vieira.  “Esse é o papel do CFC. Nós temos que exigir cada vez mais a profissionalização de todas as autoescolas, além de cobrar dos alunos um bom desempenho, e ao mesmo tempo acompanhá-los mesmo após a tirada da tão sonhada Carteira de Habilitação (CNH)”, diz Ilma.

Ainda segundo ela, o trabalho para reduzir o número de mortos no trânsito, deve ser realizado em conjunto com sociedade e Estado. “Sabemos de casos de bons alunos que saem da autoescola e vão a óbito devido às condições precárias das nossas estradas. É aí que deve haver a união de esforços, cada um fazendo a sua parte”, expõe a proprietária do CFC Mika.

Ilma fala ainda do desafio que os CFCs enfrentam de ter que conquistar os jovens alunos, pois muitos chegam à autoescola certos de que já sabem dirigir, desmerecem o instrutor e, principalmente, as aulas teóricas. “Eu faço questão de cumprir toda a carga horária das aulas teóricas, pois para mim, um bom curso teórico leva a um bom curso prático”, enfatiza.  Para ela, investir em um material didático de qualidade, é fundamental. “Um bom material faz com que o CFC melhore cada vez mais seu conteúdo”.

A proprietária do CFC Mika reflete sobre as necessidades de mudança no processo de formação de condutores. “É preciso profissionalizar cada vez mais o sistema, exigir uma vistoria do Detran nas autoescolas, além da biometria, que está sendo implantada aos poucos no Espírito Santo”, explica Ilma.

Para concluir, Ilma dá dicas aos jovens que estão pensando em tirar a CNH. “A CNH é um documento que exige muita responsabilidade. O jovem tem que ter em mente que para dirigir um carro é preciso estar sóbrio, porque esse ato pode acabar com a vida de muitas famílias e a dele também. Por isso sempre digo ao jovem, nunca beba antes de dirigir”, conclui.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *