Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

16 de julho de 2024

Detran/SP não exigirá mais comprovante de vacinação para Covid-19


Por Mariana Czerwonka Publicado 30/04/2022 às 11h15 Atualizado 08/11/2022 às 21h11
Ouvir: 00:00

Detran/SP determina o fim da obrigatoriedade de apresentação do comprovante de vacinação ou teste negativo para Covid-19 na realização da prova prática de direção. 

Detran/SP não exigirá mais comprovante de vacinaçãoDetran/SP não exigirá mais comprovante de vacinação para Covid-19. Foto: Divulgação Detran/SP.

O Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran/SP) divulgou que desde ontem, dia 29/04, não está mais exigindo o comprovante de vacinação, bem como teste PCR ou antígeno negativo para Covid-19 tanto para candidatos como para examinadores para realização da prova prática de direção no órgão.

Conforme o Detran/SP, a decisão leva em conta a constante melhora dos indicadores de disseminação da Covid-19 no estado de São Paulo. Além, também, da redução do número de mortes.


Saiba mais:


Histórico

Desde o dia 20 de janeiro de 2022, o Detran/SP estava exigindo o comprovante de vacinação de todos os examinadores de trânsito e candidatos à habilitação nos exames práticos de direção veicular.

Outros Detrans, como da Bahia, Pernambuco e Paraíba também passaram a exigir a comprovação.

Cenário epidemiológico da Covid-19 no Brasil

Os últimos dados registrados, conforme o Boletim Observatório Covid-19, mostram nova redução dos indicadores da intensidade de transmissão da Covid-19 no Brasil. Ainda segundo o documento, houve uma queda de 43% do índice de mortalidade em relação às duas semanas anteriores.

De acordo com o Boletim, as vacinas e o alívio do sistema de saúde têm contribuído para a redução da letalidade no Brasil. Assim como, em diversos outros países que alcançaram altas coberturas de vacinação.

“A ampliação da vacinação, atingindo regiões com baixa cobertura e doses de reforço em grupos populacionais mais vulneráveis, pode reduzir ainda mais os impactos da pandemia sobre a mortalidade e as internações”, reforça.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *