Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

21 de julho de 2024

Pós-pandemia: dicas para autoescolas atraírem mais alunos


Por Pauline Machado Publicado 19/01/2022 às 11h15 Atualizado 08/11/2022 às 21h16
Ouvir: 00:00

Quais estratégias de marketing os CFC’s podem adotar para recuperar os alunos? Veja dicas para autoescolas.

A pandemia trouxe consequências para vários setores, entre eles os de Centro de Formação de Condutores (CFCs).Muitos foram afetados de forma estrutural a ponto de fecharem algumas unidades ou, até mesmo encerrarem as atividades. Por esse motivo, o Portal do Trânsito traz dicas para autoescolas recuperarem o tempo perdido.

Márcia Pontes é especialista em trânsito. Foto: Arquivo Pessoal.

Como consequência, houve, também, aumento no número de desempregados, não só instrutores, mas também atendentes que não conseguiram emprego em outros CFC’s, pontua a especialista em trânsito, Márcia Pontes, que ressalta ainda outros desafios internos dos CFCs.

“Houve dificuldade para formar turmas, enquanto não se tinha decisão sobre o retorno às aulas teóricas. Os gestores de CFC não conseguiam atender às demandas de novos alunos e dos já matriculados. Além disso houve atrasos nos exames, o que afetou também as contas dos CFC’s. Foram dias muito difíceis”, considera.

Consequências

No entanto, os efeitos da pandemia não se limitam às questões financeiras, mas, também, aos riscos na segurança no trânsito. Isso porque é alta a probabilidade de aumento do número de cidadãos, dirigindo sem habilitação, devido à impossibilidade de fazer o processo de formação completo.

“É difícil afirmar com propriedade se com as dificuldades enfrentadas pelos CFC’s em decorrência da pandemia, alguns candidatos passaram a dirigir sem habilitação, porque isso depende de dados confiáveis, estatísticas ou dados concretos, mas, certamente isso já era esperado. Se já é uma prática comum entre candidatos aprovados não esperar a chegada da CNH provisória para dirigir, por conta da ansiedade, acredito que não seja diferente com um cenário de pandemia impregnado de incertezas quanto à normalização dos serviços. De certo, muitos dirigem sem habilitação”, lamenta e avalia a especialista.

Riscos de dirigir na ilegalidade

Seja em relação a quem já foi aprovado no exame prático e não espera a chegada do documento para dirigir, seja por outros motivos, inclusive relacionados à pandemia, a questão é que não se deve dirigir na ilegalidade.

A pesquisadora, que aplica o Método Decomposto de Ensino e Aprendizagem Significativa da Direção Veicular no Brasil, desde 2008, explica que uma pessoa não habilitada, que ainda não concluiu o processo de habilitação, na maioria dos casos, não sabe dirigir, ainda está aprendendo. Além disso, não tem domínio e controle do veículo e isso potencializa o risco de acidentes, feridos e até resultados piores como sequelas ou morte de alguém.

“Quem dirige na ilegalidade costuma ter comportamentos evasivos e tende a  fazer manobras bruscas porque tem medo de ser pego. Também representa um risco enorme para o proprietário do veículo que acaba entregando a direção ou permitindo que pessoa sem habilitação dirija. Em caso de acidentes, essa pessoa pode responder inclusive nas esferas cível e criminal. O interessante é que vivemos em um país em que as pessoas reclamam tanto das ilegalidades e da corrupção, mas não lembram que dirigir sem habilitação, com documentos vencidos ou algum tipo de impedimento também é uma forma de corrupção”, salienta.

Importância do processo de formação de condutores para a segurança no trânsito

A importância do processo de formação de condutores para a segurança no trânsito pode ser facilmente compreendida a partir de analogias simples, como ilustra a especialista: “você não ensina ninguém a nadar jogando no mar ou numa piscina primeiro, para ela aprender na prática. Muito menos os cirurgiões. Já pensou se fossem formados como se forma condutores no Brasil? Vai abrindo o paciente, passando o bisturi para aprender na prática?”.

Marcia Pontes destaca que os CFC’s recebem pessoas com diversos tipos de transtornos, como, por exemplo, a ansiedade o que compromete a capacidade de atenção e concentração. Ainda, segundo a especialista, insistir no modelo de “eu falo e você repete sem entender o que está fazendo” por memorização e sem intencionalidade não faz ninguém aprender.

“Para o aluno parece que o carro tem vida própria, não entende, não compreende. Falta ensino e aprendizagem significativa nesse caso. Não tem sido pouca a quantidade de acidentes de todos os tipos com recém-habilitados. Isso porque muitas vezes não aprenderam o básico, como, por exemplo, a frenagem de emergência. Ralar a lateral no portão e arrancar retrovisor é um indicativo de que muitos alunos saem do processo de formação sem nenhuma noção mínima de espaço para saber como treinar”, evidencia.

De acordo com ela, os canais que ensinam a dirigir no YouTube têm sido uma segunda alternativa de formação para os recém-habilitados. Além disso, atraem também muitos instrutores em busca de interações para melhorarem as suas práticas de ensino e também trazem dicas para autoescolas. “Quanto mais o aluno entender os fundamentos para dirigir, quanto mais treinos tiver depois de habilitado, praticando do modo correto, menores serão os riscos de acidentes”, garante a especialista.

Mas, além dos canais do Youtube, que outras estratégias de marketing os CFC’s podem adotar para recuperar os alunos? Veja dicas para autoescolas!

O professor e consultor em marketing digital, Helton Magalhães da Cruz deu algumas dicas para autoescolas. Acompanhe!

  1. Utilize Instagram e Facebook para compartilhar dicas relacionadas a boas práticas no trânsito. Mostrar também o que ocorre quando não se respeita as leis, quando acidentes ocorrem por imprudência. Utilizar chamadas para ação nas postagens, convidando pessoas para marcarem amigos que desejam ficar por dentro das dicas. Isto pode estimular engajamento nas postagens;
  1. Grave vídeos para o Youtube com depoimentos. Essa atitude reforça a prova social e qualidade das escolas, sendo um gatilho poderoso para a conquista de clientes, transmitindo credibilidade;
  1. Crie uma conta no Google Meu Negócio (gratuita), e realize postagens periódicas. Esta estratégia é muito efetiva para pesquisas locais;
  1. Se não tiver, crieum site e utilize botões do Whatsapp napágina inicial. Atualmente, priorizar atendimento pelo Whatsapp é mais efetivo do que por email. A plataforma indicada é WordPress, mas, caso não tenha recursos para realizar nesta plataforma, é possível realizar site gratuito na plataforma WIX;
  1. Invista em anúncios de Google Ads. Essa é uma das estratégias mais efetivas, pois, sua empresa aparece apenas para quem estiver pesquisando sobre autoescolas. O resultado é uma alta taxa de conversão, desde que o site seja rápido e funcional, bem como tenha botões do Whatsapp para facilitar o contato do cliente;
  1. Realize anúncios de Facebook e Instagram Ads. Embora seja importante postagens orgânicas (sem anúncios), na realidade os melhores resultados ocorrem com anúncios. Sendo possível impactar 1.000, 5.000, 10.000 pessoas por dia, ou mais, de acordo com o investimento realizado. Para pequenas empresas, recomendamos no mínimo o investimento de R$ 20,00 por dia por anúncio. Já para empresas maiores, campanhas com R$ 50,00 por dia, por pelo menos 15 dias, geram resultados mais sólidos;
  1. SEO: Caso tenha um site, é importante utilizar a estratégia Search Engine Optimization, para melhorar o posicionamento orgânico (sem pagar) no Google;

  1. Blog: Complementando a estratégia de conteúdo nas redes sociais, o Blog produzindo dicas no site, é algo importante para atrair pessoas que desejam entender a importância de uma autoescola de qualidade. Além disso, serve também esta estratégia, para melhorar o rankeamento no Google;
  1. Influenciadores digitais: cada dia mais em alta, fechar parceria com influenciadores digitais da cidade, é uma ótima estratégia. Nem sempre influenciadores com 1 milhão de seguidores são os melhores, ou seja, muitas vezes, influenciadores locais, do bairro ou da cidade, podem ser mais efetivos;
  1. Reels no Instagram: por ser uma novidade na plataforma, o Instagram vem entregando um resultado muito expressivo na plataforma. Nesse sentido, é recomendável adquirir um celular com uma boa câmera, e realizar vídeos todos os dias para postar no Reels do Instagram.

“O que está muito em alta atualmente, é a humanização da marca. Definir uma pessoa dentro da autoescola para servir como referência na divulgação de conteúdo, contato com o cliente, e vídeos no dia a dia, é algo muito efetivo. Outro ponto, é que os resultados acima da média só vão acontecer caso se trabalhe todas as estratégias integradas. Ações isoladas normalmente não geram bons resultados”, orienta e finaliza.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *