Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

22 de fevereiro de 2024

Prova prática do Detran: como combater o nervosismo


Por Mariana Czerwonka Publicado 18/08/2021 às 11h12 Atualizado 08/11/2022 às 21h24
 Tempo de leitura estimado: 00:00

O Portal do Trânsito separou algumas dicas para diminuir o nervosismo na hora da prova prática do Detran. Leia!

Apesar do interesse dos jovens pela Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ter caído nos últimos anos, muitos ainda sonham com o momento de tirar a primeira habilitação. Para alguns, porém, questões emocionais podem atrapalhar esse processo de obtenção do documento. E não é só a aprendizagem que pode ser afetada pelo nervosismo, o exame de prática de direção veicular talvez ainda seja a etapa que mais pode afligir o futuro condutor.

O trabalho de preparar esse candidato para enfrentar os desafios que podem aparecer durante o processo de obtenção da CNH começa no Centro de Formação de Condutores (CFC). E, nesse caso, o instrutor de trânsito tem um papel fundamental para que o aluno consiga atingir os seus objetivos.

A dificuldade de lidar com as pressões da vida, aliadas a outros fatores, como, por exemplo, a personalidade e a própria educação do indivíduo, podem levar o candidato a enfrentar problemas durante o processo de habilitação.

“Parece assustador, mas o comportamento humano interfere diretamente em todas as atividades que executamos. Tudo pode atrapalhar, inclusive críticas de pessoas próximas”, explica Gisele Almeida, que é instrutora de trânsito e atua em São Paulo.

A instrutora, que por se deparar continuamente com essas situações buscou capacitações para conseguir auxiliar seus alunos, trabalha o assunto em sala de aula, mesmo o conteúdo não sendo obrigatório. “Elaborei um plano de aula de psicologia do trânsito e aplico a matéria junto com direção defensiva. O resultado é surpreendente. Após ministrar essa aula para primeira habilitação percebi que existem vários aspectos que interferem diretamente no comportamento e isso limita alguns sentidos, como o bloqueio na aprendizagem”, diz Gisele.

Dicas para o exame prático

Na Live Portal Convida do dia 09 de julho, Larson Orlando, que é coordenador de habilitação do Departamento Estadual de Trânsito do Paraná (Detran/PR) falou sobre o nervosismo que acontece durante o exame prático de primeira habilitação.  “As pessoas não conseguem lidar com impulsos, com situações de prova. Em outras palavras, muitas vezes a gente percebe pessoas que sabem, mas na hora do exame não conseguem demonstrar o conhecimento. Ou seja, parece um bloqueio”, pontua.

Para auxiliar essas pessoas com dificuldades o coordenador deu algumas dicas para diminuir o nervosismo na hora da prova prática do Detran.

Sem familiares

Em primeiro lugar, por mais que seja um momento que marca a vida de muitas pessoas, a dica é não levar familiares no dia da prova prática.

“Quando o aluno traz pai, mãe, namorada ou amigo, para presenciar essa avaliação, queira ou não, ele vai se sentir cobrado duas vezes. O exame prático, por si só, já traz certa pressão, pois o candidato terá que demonstrar todos os conhecimentos práticos e teóricos em pouco tempo. Se os familiares estiverem no local, essa pressão aumenta consideravelmente. Do mesmo modo, temos notado que a maioria das pessoas que trazem conhecidos acaba se desconcentrando da prova para tentar agradar quem veio assistir”, conta Larson.

Contato no portão da banca examinadora

Segundo o coordenador do Detran/PR, muitos candidatos ficam no local da banca examinadora para saber de outros alunos o que aconteceu na prova, qual o trajeto realizado e outras informações. Para Larson, isso pode aumentar a ansiedade. “Por exemplo, se o candidato abordado reprovou, ele vai passar elementos, muitas vezes errados, do conceito do teste. Nesse sentido, é preciso deixar claro que cada exame é um exame. Seja como for, o examinador vai tentar entender a condição daquele candidato e aplicará a prova tendo ele como referência”, garante.

Saber o trajeto antecipadamente

Outra dica é não querer saber o trajeto antecipadamente. “Isso é um equívoco muito grande. Familiarizar-se com o bairro é uma coisa, trazer o aluno para treinar próximo ao Detran, isso é correto. Agora, seguir o examinador para fazer o candidato decorar o trajeto, é um erro lamentável”, diz.

Larson destaca, ainda, como isso pode ser prejudicial.

“O candidato fica com aquele trajeto na cabeça e se o examinador não faz o mesmo caminho, pronto: já desestabiliza o aluno. A pessoa fica nervosa, acha que é uma pegadinha do examinador, enfim, não é positivo”, argumenta.

Horário da prova

Para finalizar, uma dica sobre o horário de realizar a prova. De acordo com o coordenador, o período compreendido das 08h até 10h tem um alto índice de aprovação. “Acreditamos que isso acontece porque a pessoa não teve outra atividade antes que lhe causou algum estresse ou uma ansiedade”, explica Larson.

Isso não quer dizer que todos devem marcar a prova no período da manhã, mas o candidato deve evitar passar por contratempos antes do exame. “Perder um ônibus, discutir com alguém, ou outras situações podem influenciar negativamente o resultado da prova”, aconselha.

A dica é programar o dia para dificultar o aparecimento de situações que podem desestabilizar o candidato.

“Evitar marcar compromissos anteriores, a prova prática do Detran como ida ao banco ou às compras. Em outras palavras, use o dia para se concentrar no exame”, finaliza.

Dica do especialista

Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor do Portal, ressalta uma dica preciosa para quem vai passar pela prova prática do Detran. Para ele, a única regra que serve para todos é: respeite o medo, saiba ouvi-lo, mas aprenda a lidar com ele.

Ouça a opinião completa do especialista.

 

Receba as mais lidas da semana por e-mail

2 comentários

  • Erivelton
    14/12/2023 às 12:06

    Estou com 64 anos e próximo dos 65. Tenho bastante equilíbrio na bicicleta, mas nunca dirigir uma motocicleta. Entrei na auto escola para fazer a inclusão da categoria A e segundo o Detran eu teria que fazer 15 aulas para adição na minha CNH. Confesso que o peso da moto me assustou e por falta de prática em motos me custou dois tombos. Mesmo assim não desisti e resolvi entrar num consórcio Honda de uma POP110i para ir me adaptando como iniciante quando eu for para o transito. Paguei 950,00 a auto escola e no final das aulas o instrutor me cobrou mais 350,00 para fazer simulado. Eu não tinha mais dinheiro e disse que eu ia tentar um milagre no dia do exame. No dia da prova por eu não ter praticado o simulado, fui reprovado logo na saída por ter colocado o pé direito no chão para tentar equilibrar a moto. Dois instrutores me cercarem gritando PARA e nem cheguei a passar no primeiro cone. O que dói no meu coração não é pela minha reprovação e sim porque na estrada nenhum motoqueiro tem esta pressão psicológica para passar a segunda marcha num espaço de 3 metros com uma porrada de pessoas e juízes a sua volta. Amigos não tem como ficar nervoso diante de uma cena desta que para mim foi elaborada para ganharem dinheiro. Estamos sendo assaltados na maior cara de pau e ninguém faz nada. Eu não ganho bem e agora vou retirar a minha moto primeiro para treinar bastante antes de fazer meu simulado no Detran. Até pq aos 65 anos de idade serei isento de pagar a taxa do DUDA. Deixo aqui a minha insatisfação. Isto é Brasil!

    • Carmen
      19/12/2023 às 09:28

      Passei pela mesma situação…estou traumatizada !! Treinei numa pista totalmente diferente da pista do Detran, isso é errado!!
      Até pessoas com certa prática têm dificuldade de passar por aquele circuito que possui 8 tão fechado quanto fazer um 0 …
      E só uma chance !!!
      Ridículo
      Deveriam deixar dar uma volta para sentir a moto …uma vez que não é a sua !!!!

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *