Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

27 de fevereiro de 2024

Detran/ES implanta novas tecnologias de inteligência artificial na vistoria veicular

O uso de tecnologia de ponta visa dar mais segurança, transparência e celeridade nos serviços prestados ao usuário.


Por Assessoria de Imprensa Publicado 18/08/2023 às 18h00
 Tempo de leitura estimado: 00:00

Com o foco no avanço nos serviços de vistoria veicular, o Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran/ES), implantou o uso de tecnologia de ponta para dar mais segurança, transparência e celeridade nos serviços prestados ao usuário.

O estado implementou novos requisitos técnicos nas etapas e fases na vistoria dos veículos, em especial com criação de tecnologias de inteligência artificial. O sistema já está em funcionamento e vem sendo disponibilizado através das empresas credenciadas pelo órgão.

Além da redução no número de acidentes de trânsito e dos furtos e roubos de veículos, as mudanças pretendem trazer a padronização e aprimoramento técnico e estrutural da atividade.

Para isso o órgão estabeleceu medidas para a realização do credenciamento de Empresas Credenciadas em Vistoria de Veículos (ECV). Ou seja, o Detran/ES irá fornecer a essas empresas a integração de chassi, número de autorização de vistoria e tipo de vistoria, já as empresas devem cumprir as normas para garantir o controle, autenticidade, conformidade e inalteração dos dados.

“A implantação da tecnologia artificial atinge o “interesse público” além de atender o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Dessa forma, reprimindo fraudes e vistorias inconsistentes. Assim, não permitindo que o cidadão de boa fé possa adquirir um veículo adulterado. Nesse sentido, o poder público deve garantir a segurança veicular quanto a frota vistoriada, a segurança viária e a defesa da vida, e por fim, o uso de tecnologia moderna para reprimir toda e qualquer fraude contra o sistema renavam”, diz Everson Vieira de Souza, advogado especialista em Direito de Trânsito.

Através do sistema de IA será possível realizar a captura das imagens obrigatórias e opcionais das vistorias sem a possibilidade de intervenção humana, impedindo a manipulação da imagem ou de sua origem, ainda, será possível realizar o registro e armazenamento dos dados da captura de todas as imagens no banco de dados, onde cada informação não possa ser alterada sem refazer toda a operação, protegidos com uma chave de integridade e com a transparência em todos os envolvidos no processo, garantindo a rastreabilidade bem como a originalidade das imagens nos laudos finais de vistoria.

Informações

A captura e validação sistêmica obrigatória das imagens, utilizando a inteligência artificial como forma de garantir a autenticidade do veículo e combate a irregularidades é uma tendência que vem sendo seguida pelos órgãos de trânsito nos estados, não só nos serviços de vistoria, mas como ampliação da segurança nos serviços de emplacamento.

Veja as etapas do processo com o uso de IA:

  • Biométrica com garantia de presença no início e no final do vistoriador autorizado;
  • Biométrica com garantia de presença no final do processo do proprietário/responsável autorizado;
  • Chassi encontrado no veículo;
  • Número do motor encontrado no veículo;
  • Foto panorâmica do veículo através de câmera panorâmica fixa no estabelecimento da ECV, validando marca/modelo e cor do veículo, dispensada no caso da vistoria móvel;
  • Frontal e traseiro de modo a garantir que o veículo correto está sendo vistoriado, bem como o mesmo se encontra com a placa correta;
  • Placas instaladas no veículo, verificando simultaneamente quanto ao alfanumérico, serial ou lacre e demais itens de segurança;
  • Procuração quando o proprietário não estiver presente;
  • Hodômetro;
  • No mínimo uma etiqueta de identificação ou plaqueta;
  • CRLV do veículo;
  • CNH do condutor autorizado do veículo.

Todas as tecnologias exigidas no processo devem impedir o acesso por agentes ou dispositivos não autorizados. Assim como, permitir o controle para garantir que as empresas cumpram as políticas de segurança estabelecidas pela Portaria. Além disso, devem possuir um sistema que bloqueie fraudes ou erros e integração de forma a não permitir a manipulação do horário em função do dispositivo utilizado pela empresa prestadora do serviço e garantir que o checklist dos itens a serem vistoriados. Esses são os principais itens exigidos pelo Detran/ES.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *