Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

04 de março de 2024

Dados preliminares apontam alta no número de acidentes no Brasil


Por Mariana Czerwonka Publicado 23/03/2016 às 03h00 Atualizado 08/11/2022 às 22h39
 Tempo de leitura estimado: 00:00
Acidentes no trânsitoOs primeiros dados coletados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) mostravam uma redução de 5% no número de mortes em um ano.

O Ministério da Saúde divulgou dados preliminares do trânsito brasileiro, em 2014, e a conclusão é que houve um aumento de 2% no número de mortes em relação ao ano anterior. Os primeiros dados coletados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) mostravam uma redução de 5% no número de mortes em um ano. Após essa revisão, a realidade mostra que as mortes no trânsito passaram de 42.266 em 2013 para 43.075 em 2014. Os números serão revisados novamente, antes de serem consolidados, e pode ser que ainda sofram alterações.

“Esse resultado é preocupante, pois o Brasil assumiu uma meta coma ONU para reduzir pela metade o número de mortes no trânsito até 2020. Se continuarmos dessa forma, não chegaremos nem perto”, diz Eliane Pietsak, especialista em trânsito.

Queda em 2015

Em 2015, porém, alguns números mostram um cenário melhor. Por exemplo, os números da Seguradora Líder, que administra o DPVAT, apontam uma tendência de queda nos números oficiais. Em 2015, foram pagas 652.349 mil indenizações pela Seguradora Líder-DPVAT por acidentes de trânsito em todo o Brasil. O número, referente a reembolso de despesas hospitalares, invalidez permanente e morte, é 15% inferior ao mesmo período de 2014. A maior queda registrada no período foi na cobertura de morte (19%), seguida de reembolso de despesas hospitalares (18%) e invalidez permanente (13%).

Para o diretor-presidente da Seguradora Líder-DPVAT, Ricardo Xavier, a queda é um reflexo de uma fiscalização mais efetiva. “Os efeitos da Lei Seca e a conscientização sobre o uso de equipamentos de segurança no trânsito já começam a fazer efeito. No entanto, nossas ruas, estradas e avenidas produzem por dia muitos feridos, inválidos e mortos todos os dias. Temos que investir agora na educação do cidadão no trânsito para que o número de acidentes reduza mais ainda”, afirma o presidente.

A cidade de São Paulo também teve queda nos números de acidentes em 2015. Segundo relatório da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) houve uma queda de 20,6% no número de mortos em acidentes de trânsito em relação ao ano anterior. É a maior baixa desde 1998, quando entrou em vigor o Código de Trânsito Brasileiro e a redução em relação ao ano anterior foi de 23,7%.

Segundo o órgão, a baixa histórica é resultado de um conjunto de medidas de mobilidade urbana que são tomadas desde 2013.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *