Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

20 de fevereiro de 2024

Mobilidade urbana: saiba quais são tendências para 2023 e suas facilidades para os brasileiros

Entenda como as tendências de mobilidade urbana para 2023 podem trazer mais facilidades e benefícios em nosso dia a dia.


Por Pauline Machado Publicado 23/02/2023 às 13h30
 Tempo de leitura estimado: 00:00
Camila Cavalheiro
Camila Cavalheiro Ribeiro da Silva é Coordenadora de Mobilidade do Instituto Cordial. Foto: Arquivo Pessoal

O ano de 2023 chegou acompanhado de algumas tecnologias e tendências que estarão cada vez mais presentes nas ações de mobilidade urbana. Dessa forma, trazendo melhorias para as pessoas em todo o mundo, inclusive para os brasileiros.

Veja algumas delas:

1 – Aumento do número de carros elétricos

2 – Carros voadores

3 – Carteira Digital

4 – Compartilhamento em tempo real

5 – Maior conectividade

6 – Parcerias entre o setor público e privado

7 – ESG

8 – Sustentabilidade

9 – Aumento de pedidos delivery

10 – Redução no número de carros próprios

Para compreender melhor como tais facilidades podem nos beneficiar em nosso dia a dia, conversamos com exclusividade com a Camila Cavalheiro Ribeiro da Silva, Coordenadora de Mobilidade do Instituto Cordial.

Acompanhe!

Portal do Trânsito –  Além das tendências citadas acima, podemos incluir outras?

Camila Cavalheiro – Podemos incluir, pelo menos, mais duas tendências. Desde as últimas eleições no Brasil, o tema da gratuidade do transporte público está aquecido e muitas discussões sobre isso ainda devem acontecer ao longo deste ano.

Essa pauta é muito importante porque ela reforça a importância do caráter socioeconômico e até político da mobilidade urbana, que vai muito além de tratar meramente de deslocamentos pela cidade.

Outro tema que está sendo discutido progressivamente é a questão da inovação na logística urbana, principalmente considerando uma forma integrada para o transporte de cargas e pessoas, usando a mesma infraestrutura de maneira alternada, como o uso de trens e ônibus.

Existem experiências internacionais que já indicam benefícios como a redução de veículos e o aumento da receita do transporte coletivo. Evidentemente, existem muitos desafios também, como a compatibilização do sistema de cobrança tarifária e precificação das diferentes demandas.

Portal do Trânsito – Quais são as facilidades de tais tendências para a mobilidade urbana dos brasileiros?

Camila Cavalheiro – As tendências para a mobilidade urbana dos brasileiros devem estar alinhadas com algo que deve ser permanente na mobilidade: o fato de que ela deve ser saudável, segura e sustentável.

Atualmente, estamos na segunda Década de Ação pela Segurança no Trânsito (2021-2030) que foi criada pela ONU para promover ações em cidades do mundo todo para reduzir a mortalidade no trânsito. Para isso, são recomendadas as abordagens dos Sistemas Seguros de mobilidade bem como da Visão Zero.

Os Sistemas Seguros têm como um dos seus pilares a concepção de que a responsabilidade pela segurança do trânsito é compartilhada entre todos os envolvidos na mobilidade. Isso vem desde o poder público até os usuários. E a Visão Zero, princípio criado na Suécia na década de 1990, que defende que nenhuma morte no trânsito é aceitável. Portanto, devemos e podemos evitar toda morte no trânsito.

A tendência, portanto, é que cada vez mais as cidades brasileiras adotem as abordagens dos Sistemas Seguros e da Visão Zero de forma adaptada à realidade local para reduzir, e esperamos que até zerar, as mortes no trânsito no Brasil. Além disso, ter um bom desempenho na Década de Ação pela Segurança no Trânsito (2021-2030).

Portal do Trânsito – O que mais podemos esperar no segmento da mobilidade urbana para 2023 no Brasil?

Camila Cavalheiro – Um desafio em destaque na mobilidade no Brasil está relacionado com a segurança viária dos motociclistas, sejam eles entregadores de delivery ou não.

Nos últimos 20 anos no Brasil, houve um grande aumento da frota de motocicletas assim como um aumento significativo de mortes no trânsito envolvendo motociclistas. Em 2019, em meio à pandemia do Covid 19, por exemplo, o número de motociclistas superou o de pedestres entre as vítimas fatais no trânsito em regiões do Brasil, inclusive São Paulo, pela primeira vez.

Dessa forma, os motociclistas passaram a ser as principais vítimas de sinistros de trânsito no país, o que revelou a vulnerabilidade dos motociclistas e a urgência por evitar sinistros fatais. Portanto, podemos esperar muitas discussões sobre a mobilidade e a segurança viária dos motociclistas nas cidades brasileiras em 2023.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *