Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

25 de fevereiro de 2024

Indústria automotiva investe em sustentabilidade com uso de plástico reciclado

A produção de veículos já conta com o uso de plástico reciclado na fabricação dos componentes.


Por Pauline Machado Publicado 27/03/2023 às 13h30
 Tempo de leitura estimado: 00:00

Não é de hoje que as empresas e, também as indústrias, têm investido cada vez mais em ações sustentáveis que evitem impactos negativos ao meio ambiente. Dentro deste escopo temos a indústria automotiva, sobretudo com a chegada dos carros elétricos no Brasil e no mundo. Além disso, a produção de veículos já conta com o uso de plástico reciclado na fabricação dos componentes.

Dados do levantamento Monitoramento dos índices de reciclagem mecânica de plásticos pós-consumo no Brasil, a indústria automotiva consumiu em 2021, 47 mil toneladas de resinas plásticas recicladas. O levantamento foi realizado pelo Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico – PICPlast em parceria com a MaxiQuim.

Benefícios do uso do plástico reciclado

A aplicabilidade das resinas plásticas recicladas são muito usadas na produção das peças de reposição. Como por exemplo, dos para-choques, com 27 mil toneladas de PP PCR – polipropileno reciclado, assim como das peças de reposição das marcas alternativas, de embalagem de componentes que utilizam resina PS PCR, que são o poliestireno reciclado e/ou PVC reciclado, que usam aproximadamente 2 mil toneladas.

De acordo com o estudo, a justificativa se dá pelo fato de o uso do plástico reciclado proporcionar versatilidade no design dos projetos. Além disso, de redução dos custos. Isso por sua vez, o torna uma tendência cada vez mais presente no mercado automotivo.

A Ford, por exemplo, anunciou em 2018, que cada um de seus veículos iria conter 250 garrafas de plástico reciclado. Isso equivalente ao reaproveitamento de 1,2 bilhão de garrafas por ano.

“A indústria tem evoluído na recuperação de plásticos automotivos que requer alguns desafios técnicos, econômicos e regulatórios. Plásticos resistentes e leves podem ajudar a melhorar a eficiência do automóvel”, explica Simone Carvalho, integrante do comitê técnico do PICPlast.

Ela acrescenta que o uso de plástico reciclado como matéria-prima em veículos novos é uma forma de reduzir o uso de carbono de um automóvel ao longo de todo o seu ciclo de vida. Isso desde a produção das matérias-primas e componentes, passando pela sua fase de utilização ativa, até à sua reciclagem. “No entanto, para uma aceitação bem-sucedida na indústria automobilística, todos os materiais e componentes reciclados devem, obviamente, atender a requisitos de alta qualidade e especificações técnicas. Além disso, devem ter um preço viável”, ressalta.

Sobre o PICPlast

O Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico, que já investiu cerca de R$ 20 milhões em ações em prol da imagem do plástico e em programas de capacitações, é uma iniciativa criada em 2013 pela Braskem, produtora de resinas das Américas, e pela Associação Brasileira da Indústria do Plástico – Abiplast. O plano prevê o desenvolvimento de programas estruturais que contribuam com a competitividade e o crescimento da transformação e reciclagem plástica.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *