Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

04 de março de 2024

O que são binários e para que eles servem?

Uma das alternativas para resolver problemas de congestionamentos e alto fluxo de veículos são os binários. Entenda!


Por Mariana Czerwonka Publicado 11/01/2024 às 08h15
 Tempo de leitura estimado: 00:00
Implantação de binário
Implantação de binário em Curitiba. Foto: Daniel Castellano / SMCS

Conseguir equilibrar o aumento populacional e o da frota de automotores, que cresce a cada dia e dificulta a vida no trânsito, é um dos maiores desafios enfrentados pelos gestores das grandes cidades. Além da questão de espaço e logística, existe a preocupação com o meio ambiente e a mobilidade urbana. Uma das alternativas para resolver problemas de congestionamentos e alto fluxo de veículos são os binários.

De acordo com Mércia Gomes, especialista em Trânsito e em Mobilidade Urbana, a mobilidade urbana ainda tem muitos obstáculos.

“O incentivo ao uso de ciclovias, transportes coletivos, caronas coletivas, rodízios de carros e até mesmo pedágios urbanos poderia melhorar a locomoção. Além disso, diminuir os impactos ambientais causados pelo excesso de veículos nas ruas, um dos principais entraves a uma boa mobilidade”, explica.

Para ela, os binários são alternativas capazes de solucionar os problemas de congestionamento, segurança e organização. “Os binários têm objetivos em relação a distribuições das mãos de direção das vias para uma fluidez melhor no trânsito. O sistema binário de trânsito consiste em transformar vias paralelas e próximas, de mão dupla, em vias de sentido único, podendo vir a contribuir no melhor uso do espaço da via e na diminuição de conflitos entre veículos, pedestres e ciclistas. Desse modo, o objetivo é melhorar o fluxo de veículos e tornar a via mais rápida”, diz.

A especialista cita também que nas grandes cidades, a população tende a utilizar mais o transporte individual. “A preferência por este tipo de transporte, muitas vezes está ligada ao conforto e privacidade, contrário ao encontrado no coletivo urbano, além da praticidade e agilidade que o transporte particular proporciona. Com essa preferência do transporte individual, aumenta de maneira significativa a quantidade de veículos nas vias”, aponta Mércia.

Quando implantar um binário

A implantação dos binários também traz desafios, conforme Mércia Gomes. Para ela, é preciso pensar nessa implantação quando:

  • sinistros envolvendo mais de um automóvel, pedestres e ciclistas, se caracterizarem devido ao tráfego em dois sentidos;
  • conversões à esquerda são difíceis para saída e acesso da via em questão;
  • semáforos deixam de ordenar apenas a preferência de passagem e passam a ser indispensáveis para algum tipo de movimento veicular que poderia ser resolvido de outra forma;
  • congestionamentos causam o aumento excessivo do tempo de viagem do transporte coletivo.

O binário não é suficiente

A especialista destaca que os binários são uma das ferramentas para melhoria urbana. “Para que a circulação nas vias seja feita de maneira mais eficiente e apropriada, com o crescimento populacional, é necessário ações que interfiram na atual configuração. E estas interferências devem permitir uma melhor circulação. A mobilidade urbana pode ser entendida como resultado da interação dos fluxos de deslocamento de pessoas e bens no espaço urbano. Isso compreende tanto o fluxo motorizado quanto o não motorizado”, finaliza.

Exemplo de Curitiba

Preocupada com diversas questões assim como com a maior frota de veículo do país por habitante, a Prefeitura de Curitiba já realizou diversas intervenções de engenharia para melhorar a fluidez e diminuir o tempo de congestionamento em vias importantes da cidade, com a instalação de novos binários. “Procuramos otimizar nossas vias, dar prioridade ao transporte coletivo e meios alternativos de transporte, como as bicicletas. Ou seja, são soluções inovadoras que aliam o bem-estar e a segurança dos curitibanos no trânsito”, afirma o secretário de Defesa Social e Trânsito, Péricles de Matos.

De acordo com a superintendente de Trânsito de Curitiba, Rosangela Battistella, instalam-se os binários em importantes vias de ligação da cidade.

“São vias que apresentam muito fluxo de veículos e congestionamentos nos horários de pico. Com as mudanças, há mais fluidez e também mais segurança com apenas um sentido de tráfego em cada via”, diz Battistella.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *