Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

19 de julho de 2024

Ônibus e metrô são os meios de transporte onde há maior risco de assédio contra mulheres


Por Pauline Machado Publicado 30/04/2021 às 16h38 Atualizado 08/11/2022 às 21h30
Ouvir: 00:00

A pesquisa ressaltou, também, os comportamentos que mais importunam mulheres. Entre eles estão: olhares insistentes e perguntas sobre vida pessoal. Leia mais!

Mulher no ônibus_assédioFoto: Depositphotos

Um levantamento realizado pela 99 – empresa de transporte por aplicativo- revelou que 64% das mulheres afirmaram já ter sofrido assédio no dia a dia. Ao longo da vida, a média é de três vezes. Os lugares que os eventos ocorrem com mais frequência são locais públicos (47%) e nos transportes (40%). O ônibus e metrô lideram as ocorrências nestes espaços, com 76% e 25% respectivamente.

A pesquisa, realizada entre os dias 19 e 22 de fevereiro, com 1056 usuários de aplicativo em todo o país, incluindo usuários da 99 e de outras plataformas, revelou que neste contexto, as situações que mais geram receio de assédio são: locomoção à noite (75%), passar por regiões violentas (66%), ambientes lotados (61%), locais desconhecidos (60%) e esperar ônibus no ponto (51%).

Já os táxis e os carros por aplicativo foram considerados mais seguros, com 6% e 16% dos registros. Neste último meio de transporte, a pesquisa ressaltou os comportamentos que mais importunam mulheres. São eles: olhares insistentes (39%), perguntas sobre vida pessoal (34%) e relacionamentos (26%), assobios (15%), além de comentários sobre a aparência delas (14%). Das mulheres que foram alvo de assédio em corridas, 82% relataram a situação à empresa responsável pelo estudo, mas somente 17% procuraram a polícia. E, ainda, 5,9% não tiveram coragem de denunciar.

Pâmela VaianoPâmela Vaiano é Diretora de Comunicação da 99. Foto: Arquivo Pessoal.

“A pesquisa foi feita para a 99 entender receios e problemas femininos e, com isso, aprimorar tecnologias de segurança e campanhas de conscientização como a do Guia da Comunidade”, enfatiza Pâmela Vaiano, Diretora de Comunicação da 99.

Guia da Comunidade

Para conscientizar e evitar casos de assédio na plataforma, o app lançou em dezembro o Guia da Comunidade 99, para promover respeito e tolerância aos seus 20 milhões de usuários. A iniciativa foi feita junto ao Instituto Ethos, referência na atuação em responsabilidade social empresarial no país.

A publicação, que traz um capítulo dedicado ao combate ao assédio, contém os comportamentos esperados, dá dicas específicas sobre o que fazer e o que não fazer, além de quais são as medidas aplicadas pela companhia em caso de ocorrência, como bloqueio imediato do agressor e apoio às autoridades. Além disso, explica como denunciar e quais são os canais que fornecem atendimento humanizado às vítimas nesses casos.

Tecnologia contra assédios

Além de programas de prevenção e conscientização, a 99 também conta com ferramentas tecnológicas focadas especialmente na segurança feminina. A pesquisa mostrou que 40% das mulheres já utilizaram algum recurso de segurança da empresa. Entre os destaques estão o 99Mulher, ferramenta que chegou a todas as regiões do Brasil em março e permite que motoristas mulheres possam escolher transportar apenas passageiras. E, também, o Rastreador de Comentários, inteligência artificial que rastreia automaticamente denúncias de assédio deixadas nos comentários ao fim das corridas, agilizando o contato com as vítimas.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *