Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

26 de fevereiro de 2024

Como funciona o sistema de airbag e o que fazer para evitar que ele cause vítimas


Por Pauline Machado Publicado 26/10/2022 às 16h30 Atualizado 08/11/2022 às 21h01
 Tempo de leitura estimado: 00:00

O objetivo desta matéria é destacar a importância do airbag como equipamento de segurança e explicar como ele funciona.

Você já deve ter ouvido falar de pessoas que morreram ou ficaram gravemente feridas em acidentes de trânsito devido a algum problema no airbag do veículo. Infelizmente, um equipamento que deve trazer mais segurança aos ocupantes do veículo acabou causando vítimas, o que não pode ocorrer. Se o airbag está dentro dos padrões de segurança ele deve salvar vítimas, e não o contrário. Por esse motivo, o objetivo desta matéria é destacar a importância do airbag como equipamento de segurança e explicar como ele funciona.

O sistema de airbag

Tecnicamente falando, os airbags são bolsas comprimidas e mantidas em áreas estratégicas do veículo a fim de reduzir os danos causados pelo impacto da colisão.

Quando ocorre algum acidente, o airbag é acionado automaticamente, e neste momento, o dispositivo se enche de ar muito rapidamente, impedindo que as pessoas sofram lesões mais graves ao se chocarem com partes internas do veículo.

Como funciona

Antes de tudo é importante salientar que para um melhor funcionamento dos airbags, é obrigatório que os ocupantes do veículo estejam posicionados e sentados corretamente. Além disso, fazendo uso do cinto de segurança, estando no banco da frente ou traseiro.

A partir de então, é preciso compreender como funciona as três fases – saco, sensores e sistema de insuflação, que compõem o sistema de airbag.

Durante a primeira etapa o veículo sofre uma súbita desaceleração que ativa o dispositivo de airbag. Na sequência, o gerador de gás, que é responsável por inflar a bolsa, recebe um comunicado elétrico para inflar a bolsa.

A parte interior do gerador de gás é onde acontece a reação das substâncias presentes. Nesse sentido, elas reagem e explodem instantaneamente e acionam o dispositivo.

A capa do airbag é feita por um plástico especial composto por pequenos sulcos. São eles que garantem o rompimento do material somente nos locais estabelecidos para proporcionar segurança aos passageiros.

Na sequência, o dispositivo se esvazia, por meio de furos na parte de trás ou na lateral da bolsa, e absorve o impacto do corpo.

Conheça os tipos de airbag e como funciona cada um deles

Frontal – O mais conhecido é o airbag frontal. É, também, desde 2014, obrigatório nos carros fabricados no Brasil. No momento da colisão ele infla. E, dessa forma, protege o peito do condutor e do passageiro do banco do carona de se chocar contra o painel e o volante.

Lateral – Localiza-se na parte dianteira ou também em toda parte lateral do veículo com o objetivo de proteger o tórax e a cabeça dos ocupantes.

Cortina – Esse tipo de airbag se estende de uma coluna à outra do veículo pensando em reduzir possíveis impactos na parte lateral do carro. Se destaca por proteger os passageiros e o motorista dos cacos de vidros do veículo.

Central – Localizado entre os bancos dianteiros, o airbag Central tem como função evitar o choque entre o motorista e o passageiro durante um acidente de trânsito.


Leia também:

Por que apenas crianças com mais de 10 anos podem andar no banco da frente? 

Vidro traseiro – Com a função de proteger a cabeça dos passageiros de batidas na traseira, o airbag traseiro é instalado na parte posterior dos encostos de cabeça traseiros, evitando também que possíveis cacos de vidro atinjam os passageiros.

De teto – Foi desenvolvido pensando na proteção do motorista e dos passageiros quando o veículo tem teto solar, pois evita a possibilidade de cortes e que, em casos de capotamento, as pessoas sejam projetadas para fora. Para tanto, preenche-se todo o espaço acima da cabeça dos ocupantes pelo airbag.

Joelhos – Embora ainda recente no mercado, e, escasso, no Brasil, o airbag de joelhos visa evitar o impacto do condutor e a coluna de direção do veículo em uma batida.

Cinto – Muito utilizado pensando principalmente na proteção das crianças, pois, quando acontece uma colisão de frente ou lateral, ele ameniza o impacto entre o cinto e o corpo.

Capô – Ameniza o choque do pedestre contra o capô e o para-brisa e se localiza na base do para-brisa.

Cuidados e acidentes

Como todo item de segurança automotiva, o airbag requer atenção quanto ao seu prazo de validade, revisões assim como manutenções regulares, inclusive aos avisos de chamados para recall, que é uma solicitação de devolução de um lote ou de uma linha inteira de produtos feita pelo próprio fabricante. O recall acontece quando se identifica algum tipo de problema em relação à segurança do produto.

No entanto, no Brasil, nem todos os proprietários de veículos têm o hábito de atender à solicitação dos fabricantes. Isso reflete no elevado número de acidentes relacionados ao uso de airbags.

Logo, e por fim, como medida de prevenção, recomenda-se que ao receber um chamado de recall é importante cumpri-lo. Enquanto aos que adquirirem um veículo usado, a orientação é a de entrar em contato com a central de atendimento do fabricante para verificar se o veículo consta em alguma eventual lista de recall.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *