Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

19 de julho de 2024

Júri popular de Carli Filho é marcado para janeiro de 2016


Por Mariana Czerwonka Publicado 23/10/2015 às 02h00 Atualizado 08/11/2022 às 22h43
Ouvir: 00:00

Julgamento Carli FilhoDepois de quase sete anos, enfim o júri popular do ex-deputado é marcado

A justiça marcou a data do júri do ex-deputado Carli Filho nos dias 21 e 22 de janeiro de 2016. Ele vai a júri popular, e é acusado de matar Gilmar Yared e Carlos Murilo de Almeida em um acidente de carro em 2009 em Curitiba.

Em sua página no Facebook, a agora deputada federal Christiane Yared, mãe de uma das vítimas, comemorou. “Está marcada a data do julgamento do ex-deputado Carli Filho. São quase sete anos de espera. O ex-deputado dirigia o carro que voou sobre o carro do meu filho, provocando a morte trágica dele e de seu amigo Carlos Murilo. Não queremos vingança, mas justiça. Não lutamos mais pelo filho morto, lutamos pelos filhos vivos”, escreveu a deputada.

O caso

Era madrugada do dia 07 de maio de 2009. Gilmar Rafael Yared, 26, e Carlos Murilo de Almeida, 20, voltavam de um shopping e seguiam em um Honda Fit branco. No outro veiculo, Fernando Ribas Carli Filho, 26, na época deputado estadual, havia saído de um restaurante e estava alcoolizado. Carli Filho estava no Passat SW preto e dirigia com a carteira de habilitação suspensa. Com 24 multas por excesso de velocidade,  cinco delas na rua do crime que tem velocidade máxima permitida de 60 km por hora.

O Honda Fit branco freou e entrou devagar na rua quando o Passat preto do deputado que, devido à velocidade e o desnível da rua, decolou. Voando, colidiu com o primeiro carro e veio a capotar. Ao passar sobre o carro branco, decapitou Carlos e Gilmar.

Em 2014, depois de transformar a perda do filho em causa, Christiane foi eleita deputada federal pelo PTN, sendo a candidata mais votada no Paraná. Na política ela tenta transformar a dor em uma luta constante contra  a impunidade.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *