Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

21 de fevereiro de 2024

Quando a rotatória é a solução


Por Mariana Czerwonka Publicado 07/12/2009 às 02h00 Atualizado 10/11/2022 às 19h10
 Tempo de leitura estimado: 00:00

Moradores do bairro Hugo Lange, em Curitiba, apostam na implantação de minirrotatórias em cruzamentos da região para aumentar a segurança no trânsito e diminuir a velocidade dos veículos. Um projeto que pede a inclusão de dez pequenas intervenções já foi entregue à prefeitura pelo Conselho Comunitário de Segurança Pública (Conseg). “Com a rotatória, cria-se a necessidade de reduzir a velocidade. A rotatória é muito mais inteligente”, afirma o especialista em trânsito Celso Alves Mariano, morador do bairro. O trânsito é uma das principais preocupações dos moradores do Hugo Lange, ao lado dos assaltos, arrombamentos e insegurança na proximidade das escolas. Eles reclamam da alta velocidade nas vias. As ruas Jaime Balão, Augusto Stresser e Itupava, que cortam a região, servem como rota alternativa para os bairros Cabral, Bacacheri e Jardim Social. Diante do resultado obtido a partir de uma pesquisa feita pelo Conseg com cerca de 100 pessoas e com referência em outras cidades, as minirrotatórias foram apontadas como solução para alguns problemas. Saiba mais na reportagem da Gazeta do Povo.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *