Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

12 de julho de 2024

Rodovias exigem cuidado no feriado


Por Mariana Czerwonka Publicado 30/10/2015 às 02h00 Atualizado 08/11/2022 às 22h43
Ouvir: 00:00

Cuidados na rodoviaDia de Finados deve levar mais veículos para as estradas

Mariana Simino

Os feriados nacionais costumam reunir mais veículos nas rodovias, o que deixa os usuários mais expostos aos riscos de acidentes. Por isso, quem pretende viajar neste final de semana deve ter ainda mais atenção ao volante, já que na segunda-feira (02) é celebrado o Dia de Finados.

De acordo com levantamento da Confederação Nacional do Transporte (CNT) quase metade dos 98,5 mil km de rodovias brasileiras apresenta algum tipo de defeito no pavimento. Segundo a análise, 49,9% dos trechos foram classificados como regulares, ruins ou péssimos, 42,4% dos trechos são ótimos e 7,7% foram qualificados como bons.

Irregularidades, buracos, trechos destruídos e ausência de acostamento são os principais fatores que podem levar a acidentes. Além disso, a qualidade do pavimento também interfere no desgaste, consumo de combustível e desempenho do veículo. Apenas 12% das rodovias são pavimentadas, de acordo com dados do boletim estatístico da CNT de abril de 2014 e o custo operacional da frota nacional poderia ser reduzido em cerca de 25%, caso todas as rodovias pavimentadas do Brasil estivessem em ótimo estado de conservação.

Além das condições inadequadas do asfalto, ainda há motoristas que desrespeitam as normas para circulação em segurança. O gerente de produtos da Perkons, especializada em gestão de trânsito, Ricardo Simões, lembra que a alta velocidade é um fator que aumenta a gravidade dos acidentes. “Devido ao aumento de carros nas estradas e à pressa para chegar ao destino, os comportamentos de risco ficam ainda mais evidentes e frequentes”, afirma.

Simões acredita que, para resultados efetivos de redução de acidentes, são necessárias ações integradas de engenharia, de educação e de fiscalização, através do uso adequado da sinalização e de equipamentos medidores eletrônicos de velocidade. “A falta de manutenção é um dos principais problemas do sistema rodoviário nacional. A isso, soma-se a insuficiência de uma fiscalização eficaz”, completa Simões.

Com informações da Assessoria de Imprensa

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *