Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

18 de julho de 2024

Veja dicas de segurança da PRF para dirigir em caso de queimada na via

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) faz um alerta aos motoristas sobre o risco de queimadas em rodovias. Veja dicas de segurança.


Por Mariana Czerwonka Publicado 20/04/2023 às 13h30
Ouvir: 00:00
Queimada na via
Ao trafegar sob essas condições, o condutor nunca deve atravessar a cortina de fumaça. Foto: Divulgação PRF.

A ocorrência de fumaça na pista, ou seja, uma queimada na via, não é uma situação climática, mas provoca falta de visibilidade semelhante à causada pela neblina, com algumas diferenças importantes. E, por esse motivo, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) faz um alerta aos motoristas sobre o risco de queimadas em rodovias.

De acordo com o órgão, ao se deparar com uma nuvem de fumaça nas proximidades da via, é recomendável que o condutor pare o veículo distante do local, no acostamento ou mesmo fora da via, e acione a PRF, pelo número de emergência 191. Dessa forma, o órgão fará a orientação e controle do trânsito.

“A inalação da fumaça pode provocar mal estar e confusão mental nos ocupantes do veículo”, informa a instituição.

A PRF também traz outras dicas de conduta diante desses casos. Veja quais são elas:

  • Ao trafegar sob essas condições, o condutor nunca deve atravessar a cortina de fumaça.
  • É necessário fazer uma avaliação criteriosa da situação, estimar a extensão que deverá ser transposta e só prosseguir se realmente tiver segurança.
  • Caso decida arriscar, o motorista deverá permanecer com o farol de luz baixa aceso, reduzir a velocidade, manter os vidros fechados, ligar o sistema de ventilação interna do veículo e seguir em frente.
  • Jamais deve parar no meio do fumaceiro pois isso pode provocar graves colisões.

“Além de provocarem acidentes, as queimadas também destroem as placas de sinalização e prejudicam a fauna. Há flagras de diversos animais silvestres agonizando no acostamento do leito da rodovia ou, ainda, sendo atropelados ao fugir do fogo”, diz a PRF.

Ainda segundo o órgão, apenas em Goiás, nos últimos cinco anos, registrou-se 167 acidentes provocados por restrição de visibilidade dos motoristas, sendo que 194 pessoas ficaram com ferimentos e 14 pessoas morreram.

“Geralmente as queimadas são provocadas por latas, vidros e tocos de cigarros jogados no capim seco de forma irresponsável pelos próprios usuários das rodovias, podendo levar a um incêndio incontrolável. A baixa umidade do ar e a vegetação seca facilitam a propagação do fogo”, explica a PRF.

A PRF alerta, ainda, para a necessidade de a população contribuir para a prevenção de queimadas. Nesse sentido, evitar jogar lixo e denunciar os casos de incêndio provocado. Conforme o órgão, quem for flagrado ateando fogo nas margens da rodovia poderá ser enquadrado em crime ambiental. A pena prevista, nesses casos, é de 2 a 4 anos de reclusão.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *