Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

25 de junho de 2024

Transporte por biomassa já está acontecendo 

Segundo relatório da Agência Internacional de Energia, a expansão de biocombustíveis será liderada pelo Brasil e pela Índia em 2023 e 2024


Por Accio Comunicação Publicado 27/05/2024 às 18h00
Ouvir: 00:00
Caminhão tanque parado próximo a um silo de biocombustível
A produção de combustíveis por meio da biomassa deve triplicar até 2030. Foto: Envato.

Não é segredo que a busca por alternativas sustentáveis no setor de transporte tem se tornado cada vez mais urgente. Porém, isso traz a pergunta: o futuro do trânsito é sustentável?  

Em 2023, 19 países formaram uma aliança na Cúpula do G20, em Nova Dehli, na Índia. O objetivo era discutir a produção sustentável e o uso do transporte por biomassa no mundo (incluindo o Brasil). 

Além disso, a Agência Internacional de Energia (do inglês, IEA – International Energy Agency) defende que a produção global de biocombustíveis sustentáveis deve triplicar até 2030. Com isso, o resultado esperado é chegar a zero emissões líquidas até 2050

O que é o transporte por biomassa e por que ele é importante?  

Em resumo, biocombustíveis nada mais são do que combustíveis derivados de biomassa. Esse material é criado a partir de materiais orgânicos renováveis, como plantas e microrganismos por exemplo. Ou seja, o objetivo do transporte por biomassa é reduzir a poluição na atmosfera. 

No Brasil, as estratégias acontecem principalmente para a produção de etanol (um biocombustível criado a partir do processamento da cana-de-açúcar) e de óleos vegetais ou gorduras animais para o biodiesel. Ambos os combustíveis contribuem com o transporte por biomassa, que são os resíduos da produção desses vegetais. 

Vista aérea de colheita de cana de açúcar
No Brasil, as principais iniciativas envolvem a produção de etanol (um biocombustível) e de óleos vegetais ou gorduras animais para o biodiesel. Foto: Envato.

É possível aplicar o transporte por biomassa no trânsito público? 

Em 2009, a URBS S/A, de Curitiba (PR), passou a utilizar em parte de sua frota de ônibus, o B100 de origem 100% vegetal. Com isso, a cidade se tornou a primeira capital da América Latina a utilizar em parte de sua frota de ônibus o Biodiesel. Ou seja: a biomassa no transporte público não é um assunto recente!  

Como resultado, testes de dinamômetro apontaram: 

  • Redução de 25% nos índices de opacidade; 
  • E a redução de 30% nos índices de emissões de monóxido de carbono. 

Já em campo, foi constatada a redução de 67,74% dos índices de opacidade (fumaça). 

A cidade de São Paulo (SP) também deu um passo para inovar. Em 2023, a capital paulista adquiriu 50 novos ônibus elétricos. Apesar do transporte não ser por biomassa, a atitude colabora para uma diminuição importante na emissão de CO2 na atmosfera. 

Qual a sua opinião sobre essas iniciativas? Conhece algum outro projeto importante que utilize a biomassa? Compartilhe nos comentários! 

FONTES: 

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *