Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

21 de fevereiro de 2024

E a formação dos instrutores… como anda?


Por Mariana Czerwonka Publicado 01/10/2012 às 03h00
 Tempo de leitura estimado: 00:00

No meu último blog sugeri algumas dicas de aula para instrutores de autoescolas. O interessante é que os comentários do blog abordaram muitas questões importantes e, em especial, a formação dos instrutores. Todos nós sabemos que existem muitos fatores que interferem na qualidade do ensino nas autoescolas e um deles é a qualidade da formação dos instrutores. Um instrutor mal capacitado dificilmente terá condições de dar uma aula de boa qualidade, a não ser se ele mesmo buscar aperfeiçoamento através de cursos, livros, internet, material didático apropriado ao instrutor, etc. Além da formação dos instrutores, vale à pena perguntar: ser instrutor de trânsito é para qualquer um? Claro que não, mas infelizmente a profissão é muito desvalorizada. Cansei de ouvir um amigo, que era instrutor, incentivar amigos desempregados ou frustrados com suas profissões a fazer um curso de instrutor e trabalhar em autoescola. Ele comentava que o curso era fácil, que dar aula era moleza e que era possível tirar um bom salário no final do mês. Eu achava isso tudo um absurdo porque esta profissão é de grande responsabilidade justamente por lidar com vidas, tanto do aprendiz como dos outros usuários do trânsito. E a qualidade dos cursos de formação para instrutores… como está? Em 1998 tive a oportunidade de frequentar um curso para instrutores de alta qualidade. A minha turma de aproximadamente 90 alunos teve que se esforçar para conseguir o certificado. A banca examinadora das aulas era exigente e a disciplina de didática deu bastante suporte para quem não tinha nenhuma noção de como dar uma aula. Velhos tempos! Mas o que acontece hoje em dia? Quem fiscaliza a qualidade dos cursos de formação de instrutores? Como é que autorizam cursos à distância para instrutores? Como testar as habilidades didáticas do candidato a instrutor à distância? Como avaliar o conhecimento do instrutor por meio de questões de múltipla escolha? E essa é só a ponta do iceberg dos problemas do trânsito… conto com os comentários de vocês para enriquecer este blog.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *