Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

A origem do Etanol no Brasil  

O Portal do Trânsito traz a história do Etanol em nosso país e por que ele é considerado um combustível sustentável


Por Accio Comunicação Publicado 25/02/2024 às 13h30 Atualizado 12/03/2024 às 12h42
 Tempo de leitura estimado: 00:00
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Você conhece a origem do etanol no Brasil? Na química, o etanol se chama de álcool etílico, representado pela fórmula C2H6O. Atualmente o etanol possui dois tipos: anidro e hidratado. Em outras palavras, o etanol anidro possui menos água em sua composição (0,5%) contra o hidratado (5%).  

Vale ressaltar que os combustíveis utilizam o etanol hidratado. Ele é obtido a partir da matéria-prima vegetal, sendo considerado, portanto, um biocombustível.  

A origem da extração do álcool se dá em 1860, nos Estados Unidos. Para amenizar a crise do açúcar e dependência do petróleo importado, o Brasil começou a extrair o etanol em 1925. 

Durante o primeiro governo de Getúlio Vargas, o decreto decreto-lei nº 737/1933 criou Instituto do Açúcar e do Álcool (IAA).

O objetivo da autarquia era de orientar, fomentar e realizar o controle da produção do álcool e do açúcar, no Brasil.  

Grupos de empresários usineiros foram os principais incentivadores da criação da IAA. Na época, a indústria do açúcar e do álcool se encontrava em crise devido à superprodução do setor.  

O grande boom do etanol no país aconteceu apenas na década de 1970. Nessa época, o etanol surgiu como alternativa de combustível, reduzindo custos.  

A criação do Proálcool (Programa Nacional do Álcool) aconteceu em 1975, por meio do decreto 76.593/1975. Criado no governo de Ernesto Geisel, o Proálcool tinha por objetivo a redução na dependência nacional ao petróleo importado.  

Falência do Instituto do Açúcar e Álcool e Proálcool  

Na década de 1980 o preço internacional do petróleo estava baixo. E, com a união da crise econômica que o Brasil passava e a má gestão da IAA, ocorreu a extinção da autarquia. 

No início do século 21, após pesquisas e a elevação do preço do petróleo, as montadoras decidiram criar carros com motor biocombustível. Vale ressaltar que a tecnologia total flex estava em testes desde a década de 1990. No final de 2002 houve a regulamentação da tecnologia, trazendo o automóvel total flex para o mercado.  

Vantagens do Etanol 

Ethanol biofuel derived from corn maze with beaker test tubes in laboratory
Foto: Envato.

Entre as principais vantagens do etanol está o baixo custo de produção. Além disso, o etanol é originário de recursos naturais. O Brasil conta com a cana-de-açúcar para a produção do etanol.

É possível o plantio e replantio essa matéria-prima vegetal, em solo adequado. Assim sendo, a fonte se torna inesgotável, ao contrário do combustível fóssil (petróleo).  

Além disso, o etanol é considerado uma forma de energia mais limpa, em comparação com os combustíveis fósseis, como gasolina e diesel. Afinal, ele é produzido principalmente a partir de matérias-primas renováveis, como cana-de-açúcar, milho, beterraba e outros materiais vegetais ricos em amido ou açúcares.   

Quando queimado, o etanol emite menos poluentes atmosféricos, como dióxido de enxofre e partículas sólidas, em comparação com os combustíveis fósseis. Além disso, o ciclo de carbono do etanol é considerado neutro ou próximo disso, uma vez que as plantas absorvem dióxido de carbono (CO2) da atmosfera durante seu crescimento, o que ajuda a compensar as emissões liberadas quando o etanol é queimado como combustível. Estima-se até 80% menos de emissão de gases de efeito estufa (GEE). 

No entanto, é importante considerar todo o ciclo de vida do etanol, desde a produção até o uso final. O processo de produção do etanol pode envolver o uso de fertilizantes, energia e água, e em alguns casos, pode levar à conversão de áreas naturais em terras agrícolas, o que pode gerar impactos ambientais.  

Por fim, pesando todos os itens acima na balança, o etanol se mostra mais atrativo do que a gasolina, quando o tema é sustentabilidade.  

E você, sabia da história do etanol? Conta para nós aqui embaixo, nos comentários.  

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *