Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

26 de fevereiro de 2024

Por que o exercício físico é tão importante para a saúde dos condutores de veículos?  

O hábito de conduzir um veículo por longos tempos pode gerar lesões graves. Entenda como a falta de exercício físico pode prejudicar a saúde e qualidade de vida do motorista


Por Accio Comunicação Publicado 03/11/2023 às 13h30 Atualizado 22/11/2023 às 16h38
 Tempo de leitura estimado: 00:00

Em viagens longas (seja em família ou sozinho), há pouca possibilidade para se praticar algum exercício físico. Você sabia que mesmo um único alongamento já pode ajudar a minimizar o impacto que horas ao volante causam no corpo?  

Motoristas de aplicativo, taxistas, motoristas profissionais e caminhoneiros, por exemplo, permanecem horas sentados, conduzindo um veículo e isso pode trazer diversas consequências negativas para a saúde.  

Motorista visto de cima e de dentro da cabine de uma caminhão
Foto: Freepik

“Uma pessoa que dirige por longos períodos sobrecarrega mais os membros inferiores e a região lombar da coluna”. É o que diz o professor e coordenador do curso de Educação Física, Carlos Frederico Ulrich.  

“Uma pessoa que dirige o dia inteiro utiliza muito os membros inferiores (embreagem, acelerador e freio) e também a região lombar, pois precisa ficar numa mesma postura por muito tempo”, destaca.  

Ulrich ressalta que a falta de exercício físico pode enfraquecer a musculatura do corpo, a ponto de impedir de dirigir.  

“A falta de exercícios físicos causa o enfraquecimento da musculatura. Se uma pessoa que dirige o dia todo e não realiza exercícios físicos, vai ter uma musculatura deficiente. Isso pode acarretar lesões, desde as mais leves até mais severas, podendo até impossibilitar o condutor de dirigir”, ressalta o professor. 

Não existe um limite de tempo para permanecer na mesma posição. Entretanto, Ulrich alerta que as musculaturas e as estruturas ósseas dos membros inferiores e das regiões da coluna lombar e cervical são as mais afetadas. 

“Por isso é indicado, para quem trabalha muito tempo sentado, fazer pausas e caminhar um pouco para ‘alongar’ a musculatura dos membros inferiores”.  

Quais ações e exercícios físicos podem ajudar a cuidar do corpo?  

De acordo com o prof. Ulrich, praticar 30 minutos diários de exercício (além de alongamentos), já proporciona uma considerável melhoraria para a saúde e qualidade de vida

Pessoas realizam alongamento durante uma Ginástica Laboral.
Foto: Freepik.

“O ideal é fazer pelo menos 30 minutos de exercícios físicos diários. Hoje temos uma variedade de atividades disponíveis, tais como musculação, academia funcional, crossfit, hidroginástica, além dos velhos conhecidos: caminhada e pedalar bicicleta”, destaca.  

Outra atividade indicada (e requisitada pelas empresas, segundo o professor), é a Ginástica Laboral. Esses exercícios para alongar e promover o relaxamento dos músculos, articulações e tendões podem fazer bastante diferença para o cotidiano das pessoas, “principalmente em ambientes onde os funcionários ficam muito tempo na mesma posição”, complementa Ulrich.  

E aí, que tal parar e fazer alguns alongamentos agora? Mesmo se for o caso de passar a maior parte do dia sentado, em atividades administrativas, se movimentar é vital para manter a boa saúde dos músculos, tendões e até mesmo dos seus ossos. 

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *