Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

17 de julho de 2024

Placas dos veículos: sequência de caracteres ainda define de qual estado vem o veículo? Veja a resposta!

Antes todo mundo sabia que as placas de identificação de veículos no Brasil eram emitidas pelos Detrans, seguindo uma sequência única para todo o país. E agora, como funciona?


Por Mariana Czerwonka Publicado 10/07/2024 às 08h00 Atualizado 15/07/2024 às 18h21
Ouvir: 00:00
sequência placas de veículos
Paraná recebeu nova sequência numérica de placas de veículos. Foto: Divulgação Detran-PR

Antes, todo mundo sabia que as placas de identificação de veículos no Brasil eram emitidas pelos Departamentos Estaduais de Trânsito (Detran) de cada unidade da Federação, seguindo uma sequência única para todo o país. Com a mudança do modelo da placa para a atual, chamada de Placa de Identificação Veicular (PIV), apesar de inúmeras mudanças, cada estado continua tendo a sua sequência alfanumérica.

No Paraná, por exemplo, o Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) recebeu da Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran) a liberação de uma nova sequência alfanumérica de placas veiculares que vão de TAI a TAZ e de TBA a TBZ, somando um total de 439.956 unidades disponíveis para registro.

De acordo com Celso Mariano, especialista e diretor do Portal do Trânsito & Mobilidade, o fato de as placas não conterem mais a cidade e estado de origem do veículo fez com que elas perdessem um pouco o senso de “pertencimento”.

“As versões mais modernas da placa Mercosul e a atual a PIV não têm mais o nome, mas isso é tão forte que tem projetos de lei prevendo a volta do nome das cidades às placas. Como esse endereço de identificação tão imediata não faz mais parte das placas, resta a sequência inicial das três letras desse código alfanumérico para que tenhamos um mínimo de vínculo da placa do nosso veículo com o estado onde moramos”, explica.

Para o especialista, isso ajuda na cultura, mas na prática não faz qualquer diferença para o sistema de trânsito como um todo. “O atual código utilizado nas placas, considerando os recursos eletrônicos digitais que temos hoje, podem potencialmente identificar qualquer veículo de qualquer cidade brasileira”, justifica.

Histórico no Paraná

A sequência de placas veiculares teve início em 1990 e o Paraná foi o primeiro estado a ser contemplado. A primeira sequência foi AAA-0001 a BEZ-9999, com duração de 30 anos. Em 2020, o estado solicitou uma nova subsequência para atender à demanda. Daí, recebeu a autorização para usar a série RHA-0001 a RHZ-9999, de aproximadamente 250 mil placas. A última sequência de placas recebidas pelo Detran-PR foi em 2022. Naquele ano foi a sequência SDP-0A01 a SFO-9J99, equivalente a 519.948 unidades.

Emplacamento online

Conforme o Detran-PR, desde junho de 2023, é possível realizar o primeiro emplacamento de veículos no Paraná de forma 100% online, pelo computador ou celular. Essa opção propicia agilidade e economia para os cidadãos, com redução de 17% no valor do processo, por não exigir vistoria.

A iniciativa é pioneira no Brasil e facilita a emissão dos documentos e a autorização para a estampagem de placas de um veículo novo. É possível fazer o serviço em menos de 15 minutos.

“O Detran do Paraná, que foi pioneiro em tantas ações ligadas a essa história, desde a obtenção da tão desejada sequência AAA até a atual possibilidade de um emplacamento online para veículos 0 km, também está sendo cuidadoso e valorizando essa obtenção da nova sequência que irá identificar os próximos veículos a serem aqui emplacados”, conclui Mariano.

Ouça o áudio completo do especialista:

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *