Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

26 de fevereiro de 2024

Educação para o trânsito é responsável por redução de mortes na malha viária no Brasil

Pesquisa do Instituto Nacional de Segurança Viária (INSR) revelou queda no número de mortes no trânsito no Brasil entre os anos de 2000 e 2022.


Por Assessoria de Imprensa Publicado 15/04/2023 às 18h00
 Tempo de leitura estimado: 00:00

Pesquisa do Instituto Nacional de Segurança Viária (INSR) revelou queda no número de mortes no trânsito no Brasil entre os anos de 2000 e 2022. Segundo o Instituto, em 2000, o número de mortes foi de 39.913. Vinte e dois anos depois o número caiu para 26.997, representando uma redução de 32,4% no período. O presidente do Sindicato das Autoescolas do Estado do Ceará (Sindcfcs), Eliardo Martins, atribui a redução a um reforço maior na educação para o trânsito.

“A educação é a base para a construção de uma cultura de segurança no trânsito e é essencial para mudar comportamentos e atitudes que colocam vidas em risco. Os resultados positivos comprovam e mostram que devemos investir ainda mais no caminho da educação para o trânsito e as autoescolas, através de seus instrutores, são as grandes responsáveis por esse processo”, afirma o presidente.

CNH

De acordo com a Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran), o número de carteiras de habilitação válidas no Brasil cresceu 38% na última década, somando ao todo mais de 78 milhões de condutores habilitados em todo o país, um número muito acima da população do País.

Eliomar Martins defende que tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) é imprescindível para aprender técnicas de direção e pilotagem, direitos, deveres, entender sobre as vias e, acima de tudo, sobre respeito e segurança.

“Infelizmente muitas pessoas ainda insistem em dirigir e/ou pilotar sem a habilitação, o que é um grande risco para todos que compartilham as vias. Esperamos que as pessoas ganhem cada vez mais consciência de que a CNH não é só um documento legal, mas principalmente um garantidor de que o condutor tem capacidade e conhecimento para dirigir com segurança e respeita as leis de trânsito”, finaliza Eliardo.  

Redução de mortes em Fortaleza e investimento em educação

Em Fortaleza, o cenário de redução das mortes não é diferente. De acordo com levantamento da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC), o número de mortes no trânsito vem caindo desde 2014. Ao todo, a redução foi de mais de 58% em Fortaleza.

Eliardo Martins destaca que, em Fortaleza, além do investimento na educação para o trânsito focado em desenvolver hábitos seguros e conscientes nos motoristas, principalmente para os cidadãos que tiram pela primeira vez a CNH, a parceria com os órgãos de trânsito e com a Prefeitura de Fortaleza que tem reforçado e adotado políticas de redução de tráfego, ações de educação, fiscalização, engenharia de tráfego e comunicação. “Tudo contribui para os resultados positivos”, finaliza Eliardo.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

1 comentário

  • Valdeci Aparecido Francisco
    03/05/2023 às 13:44

    Sou estudioso do trânsito, quero sempre estar informado das mudanças que ocorrem no setor

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *