Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

26 de fevereiro de 2024

Estudo: brasileiros gastam mais com o carro do que com alimentação

Alguns fatores chave são propulsores do aumento das despesas com veículos.


Por Pauline Machado Publicado 02/10/2023 às 15h00
 Tempo de leitura estimado: 00:00
Gastos do brasileiro com carros
Essa inversão do brasileiro gastar mais com o carro teve início em 2020 e se mantém constante até os dias atuais. Foto: AdobeStock

O brasileiro vem gastando mais com o carro do que com alimentação. O levantamento feito pelo Índice de Potencial de Consumo – IPC Maps, também identificou que essa inversão teve início em 2020 e se mantém constante até os dias atuais.

Dentre os itens relacionados aos veículos, considerados pela pesquisa estão:

  • Combustível
  • Consertos
  • Estacionamentos
  • Óleos
  • Acessórios
  • Peças
  • Pneus
  • Câmaras de ar
  • Lubrificação
  • Lavagens
  • Aquisição de veículos

Motivadores

Alguns fatores chave são propulsores do aumento das despesas com veículos, como por exemplo, a alta da demanda por transportes por aplicativos e serviços de entrega. Tais mudanças de comportamento dos consumidores levam os motoristas a terem de cuidar. E às vezes a renovar, com mais frequência os carros usados para o trabalho.

As ações de aquecimento da venda de carros adotadas no Brasil também são favoráveis para a referida alta. Isso porque quando há aquisição de veículos, cada novo carro equivale a uma grande movimentação para toda a cadeia do setor.

Perspectivas

Logo, temos como tendência manter, pelos próximos anos, um sugestivo cenário econômico com projeções para o setor automotivo, composto por consumidores que gastam mais com carros do que com comida. Até o final de 2023 o setor espera movimentar R$ 731,7 bilhões, o equivalente a um crescimento de 9,2% em relação a 2022.

Sem falar na frota de veículos, que inclui automóveis, ônibus, caminhões, motos, entre outros, cuja estimativa é a de ultrapassar a marca de 117 milhões em 2023. Ou seja, outra alta importante comparando com os 113,4 milhões de 2022.

Comércio e reparação

Por fim, o levantamento apurou, ainda, que dentro da expansão do setor automotivo é evidente o aumento do número de lojas de comércio, reparação de veículos e artigos relacionados. De acordo com os dados, esses serviços registraram alta de em torno de 5,3% de 2022 para 2023. Atualmente no Brasil, existem 909.122 empresas automotivas espalhadas pelo Brasil com todos os tipos de serviços.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *