Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

Motociclistas foram metade das vítimas mortas em acidentes nas BRs no Paraná no Carnaval

Acidentes com motocicletas têm ligação com falta de cuidado ou com desrespeito às normas de trânsito.


Por Assessoria de Imprensa Publicado 16/02/2024 às 16h57
 Tempo de leitura estimado: 00:00
PRF Parana
Apenas 25% dos sinistros de trânsito envolveram motocicletas, mas o número de vítimas motociclistas no Carnaval foi significativo. Foto: Divulgação PRF

Com o encerramento da Operação Carnaval 2024, que cobriu o período de 9 a 14 deste mês, a Polícia Rodoviária Federal constatou que das oito mortes registradas em sinistros de trânsito nas rodovias federais no Paraná, quatro envolveram ocupantes de motocicletas. Demonstrando a fragilidade, apenas 25% dos sinistros de trânsito envolvem motocicletas. Preliminarmente, foi constatado que a falta de atenção à condução e o desrespeito às normas de trânsito foram as causas comportamentais que contribuíram para a ocorrência dos sinistros envolvendo motociclistas no Carnaval.

Durante o período de carnaval, 114 acidentes foram registrados nas rodovias federais no Paraná, ferindo 112 pessoas e causando a morte de outras oito. 

A operação Carnaval 2024 faz parte do Programa Rodovida, que é um esforço em conjunto entre os diversos órgãos e entidades ligados ao trânsito para a redução nos índices de violência no trânsito, especialmente nos períodos de alta movimentação de veículos e pessoas, do natal ao carnaval.

A palavra sinistros substitui acidentes após atualização da nomenclatura pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) da NBR 10697, em 2020, com adoção pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), no ano passado. A mudança considera fatores técnicos e busca também uma mudança de percepção, pois a expressão acidentes passaria uma sensação de acontecimentos inevitáveis e imprevisíveis. O termo sinistro, além de mais correto tecnicamente, pretende deixar claro que colisões, atropelamentos e tombamentos e diversos outros sinistros podem ser evitados, assim como as mortes e lesões decorrentes destes. 

Tabela de sinistros de trânsito com óbito

DataHoraBRMunicípioTipo de acidentePista
simples/dupla
TraçadoClimaMortosVeículo pessoa morta
09/02/202408:30376Jandaia do SulColisão transversalSimplesRetaPista seca1Motocicleta
09/02/202408:15373ImbituvaColisão transversalSimplesRetaPista seca1Motocicleta
10/02/202413:45277MedianeiraSaída de leito carroçávelDuplaRetaPista seca1Automóvel
10/02/202419:20369CambaráColisão lateralSimplesCurvaPista seca1Automóvel
11/02/202402:20376MaringáQueda de ocupanteDuplaRetaPista seca1Motocicleta
11/02/202405:10277Foz do IguaçuAtropelamento de pedestreDuplaRetaPista seca1Pedestre
11/02/202406:45153MalletSaída de leito carroçávelSimplesRetaPista seca1Automóvel
14/02/202412:00277MorretesQueda de ocupante + atropelamentoDuplaCurvaPista molhada1Motocicleta

Fiscalização de motociclistas no Carnaval

Durante a operação, buscando melhorar a segurança viária, a PRF abordou e fiscalizou 5.356 veículos. Uma média de mais de 890 veículos por dia – e 7.173 pessoas. Ainda, realizou comandos para fiscalização de condutas de alto risco nas rodovias: excesso de velocidade e ultrapassagens proibidas.

Como resultado, houve o flagra de 852 condutores realizando ultrapassagens em locais proibidos ou forçando ultrapassagens. Outros 9.497 motoristas foram flagrados circulando em excesso de velocidade: 65 flagrantes por hora. As duas condutas, quando não causam os sinistros de trânsito, potencializam os seus efeitos.

Em Cascavel (PR), na BR-277, uma motocicleta, veículo com mais riscos para os ocupantes, foi flagrada a 167 km/h em local que permite velocidade máxima de 80 km/h. Neste caso, o condutor receberá multa de 880 reais e terá a carteira de habilitação suspensa.

Durante as fiscalizações, a PRF também autuou 111 condutores por alcoolemia. Isso ocorre quando se constata o condutor alcoolizado ou quando este se recusa a realizar o exame. Esses condutores deverão pagar multa de R$ 2.934,70 e cumprir suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

Educação para o trânsito

Como forma de reduzir a violência no trânsito, a PRF trabalha com a conscientização dos usuários das rodovias federais, mesmo que na condição de passageiros. Assim, houve a realização de comandos educativos conscientizando condutores e passageiros sobre comportamentos preventivos que ajudam a salvar vidas no trânsito. Aproximadamente cinco mil pessoas participaram das ações educativas da PRF, que teve foco principal nos passageiros de transporte coletivo. 

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *