Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

18 de julho de 2024

Conheça a origem do transporte ferroviário no Brasil 

E confira quais as perspectivas do futuro do transporte ferroviário no país


Por Accio Comunicação Publicado 19/11/2023 às 13h30 Atualizado 20/11/2023 às 16h44
Ouvir: 00:00
Mauá (RJ). Estação ferroviária Guia de Pacobaíba, a primeira estação ferroviária do Brasil, inaugurada em 30 de abril de 1854 com a presença do imperador D. Pedro II. Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Você conhece as origens do transporte ferroviário no Brasil? A primeira construção ferroviária aconteceu no século 19, em 1852, na cidade do Rio de Janeiro/RJ. O trecho de 14,5 quilômetros de extensão foi inaugurado em 30 de abril de 1854, por Dom Pedro II.  

Construída pela Imperial Companhia Estradas de Ferro, na época, a concessão foi para Irineu Evangelista de Souza , o Barão de Mauá e construída pela Imperial Companhia Estradas de Ferro. Após a Estrada de Ferro de Mauá, outros trechos começaram a formar a malha ferroviária brasileira:  

  • Recife a São Francisco (PE) 
  • Central do Brasil (RJ) 
  • Bahia ao São Francisco (BA) 
  • Santos a Judiaí (SP) 
  • E por fim, Companhia Paulista (SP) 

De fato, as ferrovias viveram a época de ouro no país entre 1870 e 1920. Porém, com a chegada dos automóveis (juntamente com abalos orçamentários), entre os anos de 1960 até a década de 1990, a Rede Ferroviária Federal (RFFSA) – principal estatal de ferrovias do Governo Federal – entrou na lista de privatizações. 

De 1995 até 1999 ocorreram as privatizações de ferrovias, com cerca de 25.599 km de malha ferroviária leiloados.

Como é a malha ferroviária no Brasil hoje? 

Atualmente, há 31 mil km de ferrovias pelos estados do Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste. Os dados são da Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF).  

Outro dado importante, divulgado pela ANTF, é a redução de 1,2% em movimentações no transporte ferroviário em 2022 (quando comparado a 2021): 500 milhões de toneladas em transporte ferroviário.

Entre 1996 e 2022, o número de empregos (diretos ou indiretos) no setor ferroviário divulgados pela ANTF cresceu 218%. De 13.506 a 42.979 no ano passado.  

Quais são os investimentos em ferrovias atualmente?

Foto: Ministério dos Transportes.

Em outubro de 2023, foi promulgado o Marco Legal das Ferrovias (Lei 12.273/2021) no Congresso Nacional. De acordo com a Agência Senado, a lei estabelece a preferência na obtenção de autorizações para atuais concessionárias.  

Além disso, fica proibido que empresas responsáveis por ferrovias outorgadas recusem, sem justificativa, o transporte de cargas. Em recente entrevista à Agência Reuters, o ministro dos Transportes, Renan Filho, destacou que o Governo Federal deve preparar um plano de expansão da malha ferroviária no Brasil.  

Ainda de acordo com essa matéria, o valor do fundo seria de R$ 40 bilhões para financiar as obras, por meio de recursos vindos das atuais concessionárias.  

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *