Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

19 de julho de 2024

Trens circulando na cidade: por que isso ainda acontece? Veja a resposta!

Apesar do perigo que isso representa para o trânsito é uma realidade que precisa ser olhada em diferentes aspectos.


Por Mariana Czerwonka Publicado 23/05/2023 às 08h15
Ouvir: 00:00
Acidente com trem na cidade
Acidente de trem ocorrido em Curitiba. Foto: Levy Ferreira/SMCS

Em muitas cidades, mesmo as grandes e até mesmo capitais, não é raro de encontrar trens carregados circulando em áreas ou cruzamentos extremamente movimentados. Apesar do perigo que isso representa para o trânsito é uma realidade que precisa ser olhada em diferentes aspectos. O Portal do Trânsito trouxe o assunto em um de seus programas Tira-dúvidas.

De acordo com Celso Mariano, especialista e diretor do Portal do Trânsito & Mobilidade, os veículos sobre trilhos têm prioridade de passagem e isso é um dos pontos mais claros e inequívocos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Ou seja, a legislação diz que os veículos que se deslocam sobre trilhos terão preferência de passagem sobre os demais, respeitadas as normas de circulação.

“Os trens não tem capacidade de manobra para ficar parando para permitir o cruzamento dos veículos. Apesar disso, temos muitos acidentes envolvendo trens em áreas urbanas ou em cruzamentos com vias onde estão circulando os veículos. A maioria dos casos não é porque o trem saiu do trilho é porque o condutor do veículo não respeitou a prioridade, se descuidou se distraiu ou tentou a sorte. Nesse caso, o desastre é garantido”, alerta.

Conforme a Associação Nacional dos Tranportadores Ferroviários (ANTF), estudos apontam que há mais de 5 mil cruzamentos construídos ao longo dos trilhos em todo o País, o que aumenta o risco de acidentes – principalmente em função da imprudência de pedestres e motoristas.Ainda de acordo com a ANTF, em 2021, por exemplo, foram 10,07 acidentes por milhão de trens.km.

E por que não é possível tirar os trilhos das cidades?

Para Mariano, seria possível evitar muitos dos acidentes se os trilhos de trens e de bondes não estivessem nas áreas urbanas. “No entanto, precisamos dar uma olhadinha na perspectiva histórica. Os trilhos muitas vezes chegaram antes daquele setor da cidade, antes daquele bairro e, às vezes, antes da cidade que erroneamente se construiu em cima do trilho. Nós fazemos isso até hoje com as rodovias e as estradas”, aponta.

Mariano diz ainda que deve-se considerar vários fatores antes de se tirar os trilhos das cidade. “Todos os movimentos e projetos para tirar os trens de circulação em área urbana sempre esbarram em pesados interesses econômicos e às vezes políticos. Não é apenas uma decisão técnica. Até que se encontre uma solução, nós que estamos conduzindo veículos devemos respeitar quem está nos trilhos. É a única forma de garantirmos segurança nesse tipo de cruzamento”, conclui.

Assista ao comentário completo de Celso Mariano sobre trens circulando na cidade, no programa Tira-dúvidas do Portal do Trânsito.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *