Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

23 de fevereiro de 2024

Michelin firma parceria com ONGs da América Latina por estradas mais seguras


Por Assessoria de Imprensa Publicado 14/04/2022 às 21h00 Atualizado 08/11/2022 às 21h12
 Tempo de leitura estimado: 00:00

Desenvolvimento de ações por estradas mais seguras tem como meta a redução em 50% das mortes e lesões no trânsito até 2030.

A Michelin acaba de firmar parceria com a Aliança Global de ONGs para Segurança Rodoviária (a Aliança) para promover estradas mais seguras e mobilidade sustentável em toda a América Latina. A iniciativa vai capacitar e equipar ONGs de segurança rodoviária na região e foi anunciada na Sétima Reunião Global de Organizações Não Governamentais que Defendem a Segurança Rodoviária e as Vítimas Rodoviárias.

A ação, que representa um novo Capítulo da Aliança na América Latina e será lançada no final de 2022, permitirá que os membros das ONGs da Aliança compartilhem experiências, bem como soluções e unam suas vozes para ações comprovadas que acelerarão o progresso na redução de mortes e lesões no trânsito em 50% até 2030.

A segurança viária requer atenção urgente na América Latina. As fatalidades no trânsito são a principal causa de morte de jovens de 15 a 49 anos na Argentina, Costa Rica, Equador e Paraguai. Além disso, a segunda principal causa de morte no Brasil, Chile, Colômbia, México e Uruguai e a terceira em Cuba.

Nesses 10 países, os acidentes de trânsito atingem o coração do grupo economicamente mais produtivo da população. O que representa um custo entre 3% e 6% do Produto Interno Bruto.

Por meio de um processo de consulta recente, as 51 ONGs membros da Aliança na América Latina definiram um apelo à ação para enfrentar os desafios específicos da região. O apelo à ação identifica a gestão da velocidade e a segurança em duas rodas motorizadas como duas das necessidades mais urgentes. O México tornou-se um dos poucos países a reconhecer formalmente o direito à mobilidade segura em sua constituição. Uma emenda semelhante foi proposta à Constituição do Chile. Ou seja, as ONGs aproveitarão esse impulso para exigir que todos os governos da América Latina garantam o direito à mobilidade segura.


Leia também:

Infraestrutura rodoviária tem relação com a segurança no trânsito 

A parceria com a Michelin permitirá que a Aliança apoie ONGs por meio de capacitação, bem como networking, compartilhamento e advocacy. As atividades incluirão treinamento e orientação, recursos, campanhas e pequenas doações. O apoio também prevê o envolvimento na região com grupos parlamentares e fóruns regionais.

“Como ator global em mobilidade sustentável, o Grupo Michelin desempenha um papel importante na promoção da segurança rodoviária. Investir, por exemplo, no Capítulo da América Latina se alinha ao nosso objetivo de nos envolver em projetos inovadores em prol de uma mobilidade sustentável e segura. Bem como, que seja respeitadora do homem e do planeta e decididamente voltado para o futuro”, diz Nicolas Beaumont, vice-presidente sênior de Desenvolvimento Sustentável e Mobilidade da Michelin.

“As ONGs estão na vanguarda da defesa de uma mobilidade segura, acessível e sustentável que fornece acesso à educação, trabalho e escolhas. Além disso, permitem a qualquer indivíduo atingir seu potencial máximo, sem deixar um atrás. Agradecemos à Michelin por apoiar as ONGs. E, nesse sentido, esperamos uma parceria de sucesso que protegerá vidas em toda a América Latina”, diz Lotte Brondum, diretora executiva da Aliança.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *