Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

21 de julho de 2024

O que é um controle de estabilidade?  

Item de segurança veicular, o controle de estabilidade passou a ser obrigatório em 2024 em novos automóveis fabricados no país


Por Accio Comunicação Publicado 14/03/2024 às 13h30
Ouvir: 00:00
Diagnóstico de um automóvel
Foto: Envato.

Você sabe o que é um controle de estabilidade e qual a importância na segurança veicular? Conhecido também por Eletronic Stabillity Control (ESC), é um sistema projetado para ajudar a manter o veículo sob controle durante emergências ou manobras evasivas. O controle de estabilidade tem a responsabilidade de acionar os freios em situações de risco e até mesmo ajustar a potência do motor.  

A detecção de possível risco ocorre por meio de sensores que monitoram a viagem do veículo. De acordo com o professor de engenharia da Faculdade Anhanguera, Cesar Weschenfelder, o controle de estabilidade auxilia o motorista a corrigir a trajetória da viagem. 

“O controle de estabilidade trata-se de um sistema eletrônico capaz de detectar um desvio na trajetória do veículo (quando o veículo não está se deslocando na mesma direção em que as rodas estão posicionadas). E então atuar para corrigir o desvio”, destaca.  

Como funciona o controle de estabilidade?  

Rapaz em um carro
Foto: Envato.

Por meio de sensores de monitoramento, o controle de estabilidade calcula a aceleração, velocidade das rodas e inclinação da direção. “O sistema detecta o desvio e atua nos freios, com auxílio do ABS, para efetuar as correções na trajetória do veículo”, completa Weschenfelder. 

De fato, as informações são repassadas a uma central eletrônica que, após detectar que o veículo está começando a sair de sua trajetória pretendida, aciona o controle de estabilidade (ESC). A intervenção ocorre por atuadores hidráulicos, que posteriormente acionam o freio dando equilíbrio no automóvel.  

“O controle de estabilidade atua de forma muito mais rápida e sutil que uma reação humana comum, antecipando e evitando situações de derrapagens em pista escorregadia ou manobras em altas velocidades”, ressalta o professor Cesar Weschenfelder. 

Vale ressaltar que o controle de estabilidade pode desacelerar o motor, quando houver necessidade. “Sem o controle de estabilidade, a correção em situações de derrapagens fica totalmente dependente da perícia do condutor”, finaliza Cesar. 

Por fim, a partir de janeiro de 2024, todas as montadoras no país devem incluir o controle de estabilidade na fabricação de automóveis. A obrigatoriedade se deu por meio de uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).  

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *