Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

25 de julho de 2024

Meu carro pode implodir? 

O Portal do Trânsito conversou com especialistas para detalhar se automóveis podem ou não implodir por algum motivo.


Por Accio Comunicação Publicado 15/09/2023 às 13h30 Atualizado 19/09/2023 às 16h38
Ouvir: 00:00
Carro com defeito, em estrada. Pode implodir?
Foto: Freepik

Será que um automóvel oferece risco de uma implosão? Antes de mais nada, vamos falar um pouco sobre física para você entender melhor as diferenças entre implosão e a explosão.  

  • Uma implosão é quando um objeto colapsa em direção ao seu centro. Ou seja, é como uma “explosão interna”. Ex.: um edifício com as estruturas condenadas pode acabar ruindo e implodindo. 
  • Já a explosão ocorre com a liberação de energia. Neste caso, a força que leva à destruição é expelida para fora a partir do centro do objeto. Ex.: uma arma de fogo dispara projéteis a partir de pequenas explosões criadas a partir do acionamento do gatilho. 

De acordo com o professor de Engenharia Mecânica da Faculdade Anhanguera, Fagner Coelho, em automóveis, o risco de implosão é menor devido a reação de combustão que acontece nos motores. 

Acredito que não há possibilidade de um automóvel implodir, devido às reações de combustão. É gerado uma enorme quantidade de gases e a quantidade de calor liberado promove expansão e não há contração de volume”, destaca. 

Porém, Coelho alerta que quando se considera automóveis elétricos, a situação pode acontecer. 

Em relação a outros tipos de veículos, como híbridos, elétricos puros, veículos movidos a hidrogênio ou com reformadores, talvez possa ocorrer uma implosão. Isso é devido a formação de gases, a bateria ou a eletrólise dos gases no reformador”

Além disso, existe também a chamada “implosão catastrófica”. Isso acontece quando há um fenômeno de choque pela diferença entre as pressões internas ou externas.  

Por exemplo, em junho de 2023, o submersível Titan, da empresa OceanGate, sofreu uma implosão catastrófica ao tentar chegar ao local dos destroços do navio Titanic. 

Os automóveis elétricos podem explodir? 

Em automóveis elétricos, o risco de explosão é maior. Entretanto, isso é um fenômeno bastante raro.  

Algumas fabricantes recomendam não deixar o automóvel carregado em uma garagem fechada ou deixar o veículo recarregando sem vigilância. 

Só para ilustrar, nos últimos anos, montadoras como a General Motors, Audi e Hyundai realizaram um recall de automóveis elétricos. As alegações eram de risco de incêndio, provavelmente ligado a tecnologia das baterias da época. 

Por fim, vale ressaltar que o automóvel elétrico é uma das soluções para um trânsito sem poluição. Por conta disso, as fabricantes investem continuamente em desenvolver novas tecnologias, tanto para um melhor desempenho quanto para uma melhor segurança. 

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *