Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

Saiba quais são as piores rodovias do Brasil 

Confira informações importantes sobre o estado das rodovias pelo Brasil


Por Accio Comunicação Publicado 25/03/2024 às 13h30
 Tempo de leitura estimado: 00:00
AM-010-3-scaled
Foto: Seinfra – Governo do Amazonas.

A Pesquisa CNT de Rodovias traz informações importantes sobre a malha rodoviária no Brasil. A Confederação Nacional do Transporte (CNT), Serviço Social do Transporte (SEST) e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT) são responsáveis pelo estudo.  

Em 2023, foram avaliados cerca de 11.502 km de rodovias. Em primeiro lugar, o estudo informa que cerca de 67,5% da malha rodoviária pavimentada apresenta algum tipo de problema. Outros 32,5% são consideradas ótima ou boa de tráfego.  

Em segundo lugar, o destaque é a pavimentação. Cerca de 56,8% da extensão da malha rodoviária possui problemas. 43,2% estão em condição boa e 0,6% está com a pavimentação destruída.  

Pelo país a sinalização está regular, ruim ou em péssimas condições, uma vez que apenas 36,6% estão em boas condições. Além disso, 14,1% das vias avaliadas não tem faixas laterais e 8,4% não possuem a faixa ventral.  

Outro destaque da pesquisa é a chamada Geometria da Via, popularmente chamada de traçado. Nas vias avaliadas, 66% apresentam problemas, contra 34% em ótimo estado. Vale ressaltar que as pistas simples dominam as rodovias: 85,5%. Ainda assim, a falta de acostamento está presente em 46,9% e 27,1% dos trechos apresentam curvas perigosas sem sinalização.  

Quais são as piores rodovias em 2023? 

Vilhena_24.06.23_Foto_Daiane-Mendonca-3
Foto: Daiane Mendonça / Governo de Rondônia.

No estudo realizado pela CNT foi identificado 2.648 pontos críticos. Logo, a extensão de vias não pavimentadas totalizou 1,4 milhão de km. Ou seja, 78,5% da malha rodoviária avaliada.  

Investimentos necessários: para recuperar as rodovias no Brasil, com ações emergenciais (reconstrução e restauração) e de manutenção, são necessários R$ 94,12 bilhões.  

Por fim, confira abaixo as piores rodovias em 2023:  

  • AM-010: a Rodovia Torquato Tapajós possui 250 km de extensão, e liga os municípios de Manaus, Rio Preto da Eva e Itacoatiara; 
  • PB-400: a rodovia liga os municípios de Cajazeiras a Conceição, no Sertão da Paraíba;  
  • BR-364: a rodovia é uma das mais importantes do país, que se inicia em Cruzeiro do Sul (AC) e finaliza em Cordeirópolis (SP);  
  • PE-096: a rodovia estadual liga os municípios de Barreiros (PE) até Palmares (PE), com 51 km de extensão;  
  • MA-106: sob gestão estadual, liga as cidades de Governador Nunes Freire a Alcântara – localizados no Maranhão; 
  • PE-126: essa rodovia liga os municípios de Palmares a Quipapá, em Pernambuco;  
  • AC-010: a rodovia liga os municípios de Rio Branco (capital do estado) até Porto Acre. Ela possui 55 km de extensão;  
  • AP-010: sob gestão estadual, liga os municípios de Santana até Mazagão, ambos no Amapá;  
  • PA-263: a rodovia, que possui 73 km de extensão, liga os municípios de Goianésia do Pará, Breu Branco e Tucuruí;  
  • BR-174: a rodovia liga Manaus (AM) até Pacaraíma (RR), finalizando na Venezuela. Além disso, ela possui 1.902 km de extensão.  

Já trafegou em algumas dessas rodovias pelo país? Conte para nós aqui pelos comentários como foi a experiência!  
 

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *