Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

20 de fevereiro de 2024

Aposentadoria para caminhoneiros: tudo que você precisa saber

Saiba em mais detalhes quais são os direitos e benefícios dos profissionais da área que desejam se aposentar em breve.


Por Agência de Conteúdo Publicado 25/02/2023 às 18h00 Atualizado 27/02/2023 às 14h01
 Tempo de leitura estimado: 00:00
Aposentadoria para caminhoneiros
A aposentadoria para caminhoneiros é um pouco diferente das demais profissões. Foto: iStock

A profissão de caminhoneiro é uma das mais essenciais do país, mas também se destaca por ser uma das mais desgastantes. Pegar estradas constantemente por muitas horas seguidas, pouco tempo para descanso e, principalmente, longos períodos longe da família são alguns dos principais motivos que levam os profissionais da área a aguardarem ansiosamente pelo momento da sua aposentadoria.

A aposentadoria para caminhoneiros é um pouco diferente das demais profissões, apesar de, na prática, ainda funcionar de forma bem semelhante. Antigamente, a classe se encaixava no grupo de “aposentadoria especial”, que garantia o direito de forma antecipada pelo fato de a profissão gerar grande desgaste físico e emocional.

Com as reformas realizadas nos últimos anos, hoje isso ainda é seguido em partes.

Ao invés de completar 35 anos de contribuição, como os demais ofícios, são necessários apenas 25 anos de atividade para homens e 20 para mulheres, além de ter no mínimo 60 anos de idade.

Aqueles que completaram os 25 anos de serviço até 12 de novembro de 2019 não se encaixam na nova regra. Ou seja, esses podem solicitar a aposentadoria antes dos 60 anos, se for o caso. Esse grupo também garante o benefício com 100% de média salarial. Isso já não está mais em vigor desde a reforma, que dificultou um pouco mais as coisas. Agora, os caminhoneiros que completam o tempo de atividade garantem apenas 60% da média salarial, recebendo 2% a mais para cada ano excedido. Sendo assim, só é possível alcançar os 100% com 40 anos de contribuição, no caso dos homens, e 35 para as mulheres.

Para dar entrada na aposentadoria, é necessário comprovar uma série de coisas.

Primeiro, a insalubridade do ofício, já que a profissão ainda se encaixa na categoria de aposentadoria especial. Devido ao fato de os caminhões modernos não apresentarem calor intenso na cabine ou ruídos altos no motor, ficou mais difícil garantir o direito de se aposentar com antecedência. Então, nesse caso, é necessário providenciar vários documentos, como Laudo Técnico das Condições Ambientais de Trabalho (LTCAT), Perfil Profissiográfico Previdenciário, entre outros. Tudo isso também serve para comprovar o tempo de contribuição.

Caso o governo não considere as condições de trabalho do profissional como insalubres, o tempo para se aposentar seguirá o mínimo padrão. Ou seja, com 35 anos de contribuição (o que já garante 80% da média salarial). Quem buscar se aposentar com antecedência pode usar uma calculadora de aposentadoria para verificar quanto será sua renda mensal, de acordo com seu tempo de atividade. Dessa forma, é possível ter certeza se vale a pena dar entrada agora ou trabalhar mais alguns anos para conquistar uma renda maior. 

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *