Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

Falta de infraestrutura das rodovias brasileiras gera impactos no meio ambiente


Por Agência de Notícias Publicado 29/01/2022 às 11h15 Atualizado 08/11/2022 às 21h15
 Tempo de leitura estimado: 00:00

A constatação sobre a infraestrutura das rodovias brasileiras faz parte do relatório da Pesquisa CNT de Rodovias 2021.

A má conservação da malha rodoviária brasileira, ou seja a infraestrutura das rodovias brasileiras, tem acentuado os prejuízos ambientais para a sociedade e especialmente para o transportador. Em outras palavras, essa realidade se traduz em aumento de consumo de combustível e desgastes dos veículos, além de mais poluição e viagens mais exaustivas para os profissionais do transporte. A análise faz parte dos resultados da Pesquisa CNT de Rodovias 2021, divulgada pela Confederação Nacional do Transporte no início deste mês.

A Pesquisa mensurou, ainda, o efeito da deficiência da infraestrutura rodoviária no consumo de combustível. Nesse cenário, considerando apenas o diesel, é possível estimar que 956 milhões de litros foram consumidos de forma desnecessária por conta das condições desfavoráveis do pavimento, o que ocasionou uma descarga extra de aproximadamente 2,53 milhões de toneladas equivalentes de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera. Seria necessário o plantio de mais de 15 milhões de árvores para neutralizar em duas décadas as emissões advindas do lançamento de gases na atmosfera em apenas um ano.

Prejuízo

Se a infraestrutura das rodovias brasileiras estivesse em condições adequadas, seria possível evitar esse consumo a mais de combustível. O excedente representa um prejuízo financeiro de, aproximadamente, R$ 4,21 bilhões para os transportadores de cargas e de passageiros no Brasil. Ou seja, um recurso que poderia se investir em veículos com tecnologias mais limpas. Assim, tendo em vista que o preço médio do caminhão que mais se vende no país é de cerca de R$ 650 mil, a quantia desperdiçada poderia ser utilizada para adquirir 6.477 novos veículos com sistemas mais modernos de tratamento de gases resultantes da combustão.

Os resultados mostram que temos muito o que recuperar nas nossas rodovias para reduzir problemas que causam cada dia mais desperdícios e maior consumo de combustível. Além disso, causam desgastes de veículos e prejuízos ambientais. Pensar em estratégias de descarbonização, ou seja, em reduzir as emissões de CO2, implica melhorar a infraestrutura da malha rodoviária.

Redução do consumo

O uso dos dados da Pesquisa CNT de Rodovias acaba incentivando a redução do consumo de combustível fóssil. Uma vez que, por meio da verificação dos resultados, o transportador tem a oportunidade de traçar melhores rotas para consumir menos combustível. Além disso, a Confederação pleiteia junto aos governos a ampliação e o direcionamento de recursos para a infraestrutura viária do país. A intenção é a manutenção e recuperação de trechos deficientes.

Nesse sentido, as 24 edições do levantamento da malha rodoviária brasileira refletem o comprometimento do Sistema CNT com ações voltadas à sustentabilidade ambiental.

Confira todas as informações da 24ª Pesquisa CNT de Rodovias

– Íntegra da pesquisa

– Síntese dos resultados: Brasil, regiões e estados

– Principais dados

As informações são da Agência CNT de Notícias

Receba as mais lidas da semana por e-mail

10 comentários

  • Consulta popular vai recolher sugestões para o plano de 100 dias em rodovias e ferrovias | Raul
    12/01/2023 às 20:00

    […] após o preenchimento inicial, será possível propor ações para ampliar a competitividade da infraestrutura e da logística de transportes de cargas e […]

  • Despachante Otimo
    12/01/2023 às 20:01

    […] após o preenchimento inicial, será possível propor ações para ampliar a competitividade da infraestrutura e da logística de transportes de cargas e […]

  • Perfil Despachante » Consulta popular vai recolher sugestões para o plano de 100 dias em rodovias e ferrovias
    12/01/2023 às 20:01

    […] após o preenchimento inicial, será possível propor ações para ampliar a competitividade da infraestrutura e da logística de transportes de cargas e […]

  • Consulta popular vai recolher sugestões para o plano de 100 dias em rodovias e ferrovias | Despachante São José
    12/01/2023 às 20:05

    […] após o preenchimento inicial, será possível propor ações para ampliar a competitividade da infraestrutura e da logística de transportes de cargas e […]

  • Jura Despachante » Consulta popular vai recolher sugestões para o plano de 100 dias em rodovias e ferrovias
    12/01/2023 às 20:06

    […] após o preenchimento inicial, será possível propor ações para ampliar a competitividade da infraestrutura e da logística de transportes de cargas e […]

  • Despachante Tozzi » Consulta popular vai recolher sugestões para o plano de 100 dias em rodovias e ferrovias
    12/01/2023 às 20:10

    […] após o preenchimento inicial, será possível propor ações para ampliar a competitividade da infraestrutura e da logística de transportes de cargas e […]

  • JM Despachante
    12/01/2023 às 20:22

    […] após o preenchimento inicial, será possível propor ações para ampliar a competitividade da infraestrutura e da logística de transportes de cargas e […]

  • Despachante Cometa
    12/01/2023 às 20:23

    […] após o preenchimento inicial, será possível propor ações para ampliar a competitividade da infraestrutura e da logística de transportes de cargas e […]

  • Despachante Flash
    12/01/2023 às 22:13

    […] após o preenchimento inicial, será possível propor ações para ampliar a competitividade da infraestrutura e da logística de transportes de cargas e […]

  • Despachante Machado
    12/01/2023 às 22:13

    […] após o preenchimento inicial, será possível propor ações para ampliar a competitividade da infraestrutura e da logística de transportes de cargas e […]

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *